Chris Brown é solto menos de 24 horas após prisão por suspeita de estupro

Redação - O Estado de S.Paulo

Cantor tem histórico de acusações de violência contra mulheres

O cantor Chris Brown, que tem extenso histórico de violência contra mulheres.

O cantor Chris Brown, que tem extenso histórico de violência contra mulheres. Foto: Alberto E. Rodriguez/Reuters

Chris Brown foi solto nesta terça-feira, 22, após ter ficado menos de 24 horas preso. Ele, um amigo e o guarda-costas foram detidos um dia antes, em Paris, após denúncia de estupro

Segundo a polícia francesa, os três homens foram detidos após uma mulher de 24 anos alegar ter sido estuprada na suíte de hotel de Brown na noite de 15 para 16 de janeiro. Ela o teria conhecido em uma boate perto da Champs-Elysees naquela data e alega ter sido estuprada pelo rapper no Mandarin Oriental, um hotel luxuoso na capital francesa. 

De acordo com o primeiro depoimento, a vítima foi convidada pelo cantor para seu quarto de hotel junto com outras mulheres. Então, ela se encontrou em um quarto sozinha com ele, onde teria sido estuprada.

Mas o histórico de violência de Chris Brown contra mulheres é extenso.

Em março do ano passado, o cantor foi fotografado em uma festa em Miami, nos Estados Unidos, e apareceu enforcando uma mulher. As fotos foram publicadas pelo site TMZ.

Em maio do mesmo ano, ele foi processado por facilitar abuso sexual na própria casa. Uma mulher alegou que foi obrigada a ter relações sexuais com amigos do cantor, que promovia uma festa com drogas e bebidas.

Em 2017, Karrueche Tran, ex-namorada de Chris Brown, entrou com pedido de ordem restritiva contra ele. A modelo declarou que o cantou a agrediu e ameaçou matá-la.

Há dez anos, ele foi condenado por agredir Rihanna quando eram namorados.

Em todos os casos, por meio de advogados, Chris Brown nega as acusações.