Chris Brown abre processo de calúnia contra mulher que o acusou de estupro

Emmanuel Jarry - Reuters

Cantor norte-americano foi preso em Paris na segunda-feira, 21, com outras duas pessoas

Chris Brown, em março de 2015, na Califórnia.

Chris Brown, em março de 2015, na Califórnia. Foto: Valerie Macon/AFP

O cantor norte-americano Chris Brown processou uma mulher por difamação, nesta quinta-feira, 24, após ela tê-lo acusado de estupro em Paris, disse seu advogado.

Brown, de 29 anos, nega a acusação. Ele foi solto nesta semana depois de passar a noite na cadeia, e nenhuma acusação foi levada adiante contra ele.

“Chris Brown abriu uma queixa junto ao procurador público de Paris por acusações caluniosas, para que uma investigação possa ser conduzida, em particular para que se possa lançar luz sobre as condições que levaram essa jovem a abrir queixa contra ele, e também para checar suas motivações”, disse o advogado Raphael Chiche à Reuters.

As prisões foram primeiro noticiadas pela revista Closer, segundo a qual Brown, seu guarda-costas e um amigo foram detidos após uma mulher de 24 anos alegar ter sido estuprada na suíte do cantor no hotel Mandarin Oriental, na noite de 15 de janeiro.

“Chris Brown atesta que não houve relação sexual com a autora da queixa”, disse Chiche.

Em 2009, o músico vencedor do Grammy se declarou culpado por agredir sua então namorada, a cantora Rihanna, num incidente que se tornou manchete em todo mundo após a divulgação de uma foto dela com o rosto machucado.