Chef de cozinha processa rapper Sean Diddy por assédio sexual

Redação - O Estado de S.Paulo

Segundo documentos do processo, ela era obrigada a servir refeições para o artista após ele ter feito relações sexuais, quando ainda estava nu

Sean Diddy Combs é acusado de abuso sexual por sua ex-chef de cozinha. 

Sean Diddy Combs é acusado de abuso sexual por sua ex-chef de cozinha.  Foto: REUTERS/Eduardo Muñoz

Uma chef de cozinha que trabalhava para o rapper Sean Diddy Combs abriu um processo contra o artista, alegando que era obrigada a servir-lhe refeições após ele ter tido relações sexuais, enquanto ainda estava nu.

De acordo com documentos legais obtidos pela People, do processo registrado na última segunda-feira, 9, Cindy Rueda conta que foi contratada para trabalhar apenas aos finais de semana em janeiro de 2015. Em setembro do mesmo ano, ela já era exigida em tempo integral e, muitas vezes, tinha de viajar com o rapper por semanas.

Nos documentos, Cindy conta que reclamou com Stacy Friend, o diretor de Diddy, sobre as condições de trabalho. Entre as reclamações, ela teria dito que era "regularmente convocada pelo senhor Combs para preparar e servir entradas e aperitivos para ele e seus convidados, enquanto Combs e seus convidados estavam envolvidos ou tinham acabado de praticar atividade sexual".

Ainda de acordo com o processo, em algumas ocasioões Cindy entrou no quarto e encontrou o cantor nu, "e ele fazia comentários sobre o corpo dele" e perguntava para Cindy se "ela estava atraída ou gostava do corpo dele".

Após as reclamações, Cindy teria ouvido que ela "seria acusada de roubo". Em maio de 2016, ela foi demitida. A chef está processando Diddy por assédio sexual, ambiente de trabalho hostil e outras contravenções trabalhistas.