Cantora Paula Lima sofre ataque racista em rede social

- O Estado de S.Paulo

'Isso é crime e eu vou até o final, por uma questão de respeito', disse a artista

Cantora foi vítima de comentários racistas no Facebook. 

Cantora foi vítima de comentários racistas no Facebook.  Foto: Reprodução/Facebook

Na noite da última terça-feira, 19, a cantora Paula Lima foi vítima de um comentário racista em seu perfil do Facebook. Ao postar o anúncio da volta de seu quadro 'Chocolate Quente', na Rádio Eldorado FM, um perfil sem foto comentou com uma ofensa a cor de sua pele. 

Em entrevista à Rádio Estadão na manhã desta quarta-feira, 20, a cantora falou mais sobre o assunto: "Ontem foi a reestreia do Chocolate Quente, que me deixou muito feliz, e logicamente teve o post nas redes sociais. No Facebook, teve um intruso que fez uma manifestação racista bem desagradável."

Paula disse que ela e sua equipe tiraram um print do comentário e vai tomar as previdências legais para "coibir e mostrar que isso é crime" e que "não vai aceitar algo assim". Ela conta ainda que denunciou o comentário via Facebook, portanto, ele já saiu do ar. 

A cantora contou que não é a primeira vez que isso acontece, mas que, dessa vez, decidiu denunciar para "motivar outras pessoas" a fazerem o mesmo. "Eu não posso falar que não me atingiu e tudo bem, não. Isso é crime e eu vou até o final, por uma questão de respeito, de negritude, de cidadania", disse a artista. 

Foto: Reprodução/Facebook

"Como negra, eu enfrento isso e sempre enfrentei. Eu acho que as pessoas eram menos transparentes em relação ao que sentiam e pensavam, então a internet trouxe essa coragem de ser ainda mais cruel", contou a artista. "Infelizmente, o mundo está meio de ponta-cabeça, e acredito que isso infelizmente acontece com muita gente e ainda vai acontecer", completa.

Em dezembro do ano passado, Paula também foi vítima de ataques racistas. Em entrevista ao Jornal da Cultura, ela contou que recebeu um comentário ofensivo em seu Facebook. "Me revolto, fico assustada. Estamos indo para 2016 e o mundo está andando para trás. Corrupção, ataques terroristas, discriminação, essa pátria educadora que não é patria educadora", disse a cantora ao jornal. Nesse caso, ela não conseguiu denunciar a polícia pois o Facebook apagou o comentário devido às denúncias na rede. 

Ouça a entrevista completa de Paula Lima à Rádio Estadão