Cabelos: existe idade certa para cortar?

Anna Paula Buchalla - O Estado de S.Paulo

Dizem que o comprimento dos fios deve diminuir à medida que a idade da mulher aumenta. Cabeleireiros ‘top’ desmentem essa teoria e dão dicas para mantê-los lindos, leves e soltos

Comprido, médio ou curto? Não adianta: tem uma hora na vida da mulher em que essa dúvida invariavelmente bate à porta. Essa e tantas outras: será que estou velha demais para ter o cabelo comprido? Fios longos envelhecem? Os curtos evidenciam o que se quer esconder? As respostas são muitas e variam para cada mulher. Mas uma coisa é certa e os cabeleireiros mais 'hypados' do mundo concordam: cabelos compridos, retos, lisos e sem corte têm, sim, data de validade. Fios muito retos e sem movimento evidenciam marcas da idade. Pior ainda se não estiverem bem tratados e opacos. No fim das contas, tudo depende de um bom corte e dos cuidados com brilho e hidratação.

O 'long bob' de Luiza Brunet, na altura do colo e com contornos leves que começam numa franja a partir da ponta do nariz, é ultra rejuvenescedor

O 'long bob' de Luiza Brunet, na altura do colo e com contornos leves que começam numa franja a partir da ponta do nariz, é ultra rejuvenescedor Foto: Filipe Araújo/ Estadão

“Concordo que os cabelos não devem ser muito longos a partir de uma certa idade, porém, hoje, 50 anos são os novos 40 e assim por diante”, diz Ulisses SJ, cabeleireiro do salão Blend, em São Paulo. “Assim como em qualquer idade, é importante levar alguns princípios em consideração na hora de escolher um bom corte”, afirma. “Descarto a teoria de que mulheres mais velhas não podem usar cabelos compridos”, diz o cabeleireiro Marcelo Brito, do Studio Tez, em São Paulo. Eles lembram algumas regrinhas básicas para a mulher que já passou dos 40:

A regra de ouro quando se vai cortar o cabelo é respeitar o formato do rosto e a estatura de cada um. Rostos quadrados e ovais ficam bem com todos os tipos de cortes, desde fios assimétricos até um 'Chanel'. Já os arredondados pedem um corte desfiado, com volume. “Se você tiver os traços bem delicados, não tenha medo do 'Pixie', aquele corte Joãozinho, que mostra bem o rosto”, diz Marcelo Brito. Quem tem rosto triangular deve evitar os fios curtos demais e em muitas camadas. “Uma opção é investir em um corte mais curto na parte de trás e com mechas mais compridas na frente, que dá equilíbrio ao rosto”.

Tudo é uma questão de biotipo: “Há mulheres que, apesar da idade, possuem traços que ficam super bem mesmo com fios longos. Sarah Jessica Parker é uma delas. A perfeita combinação entre cor, corte e ondas fazem de seu longo cabelo um sucesso”, diz Ulisses SJ. Mulheres esguias ficam super bem com este look.

Os fios precisam estar sempre bem cortados, de preferência em camadas ou repicados para dar leveza, com a coloração em dia (por conta dos fios brancos) e hidratado. Com a química, o cabelo tende a ficar danificado. 

O 'long bob' aderido no passado por Luiza Brunet, na altura do colo e com contornos leves que começam numa franja a partir da ponta do nariz, é ultra rejuvenescedor. “A morenice de Brunet também desmente a máxima de que a mulher não envelhece , fica loira '', brinca Ulisses.

Franja sempre tem um lugar de destaque também em mulheres acima de 40, pois além de deixar o rosto mais leve, também promove um ar mais jovial. A franja diagonal dá um ar de sofisticação.

Por fim, não é verdade que fios curtos podem evidenciar tudo o que se esconder nessa fase da vida, ou seja, pés-de-galinha, flacidez no colo e pescoço, perda de contorno do rosto, lábios mais finos... “Na verdade, um bom corte, com variadas formas e volumes, ajuda a dar verticalidade para mulher”, ensina Marcelo Britto. “Ele tira a atenção do rosto, pescoço ou olheiras, valorizando os traços e formatos de cada uma”.