Britney Spears se nega a pagar US$ 660 mil dólares à mãe por participação na tutela

Laila Nery - ESPECIAL PARA O ESTADÃO

Após batalha judicial que suspendeu a tutela de Jamie Spears, Britney agora enfrenta a mãe na justiça

Britney e Lynne Spears estão envolvidas em uma nova batalha judicial, após a cobrança de gastos com honorários de advogados.

Britney e Lynne Spears estão envolvidas em uma nova batalha judicial, após a cobrança de gastos com honorários de advogados. Foto: Instagram / @lynnespears_rf

As decisões judiciais envolvendo a tutela de Britney Spears, pelo visto, estão longe de chegar ao fim.

Em julho de 2021, Lynne Spears, mãe da cantora, foi quem buscou a justiça para que Britney tivesse direito a um advogado que a representasse na disputa contra Jamie, seu pai e então detentor da sua tutela. Agora, a mãe cobra que Britney devolva $660 mil dólares, (equivalente a 3,13 milhões de reais), que teriam sido gastos com honorários de advogados nesse processo. 

A princesa do pop se nega a pagar, alegando que cobriu US$ 1,7 milhões da mãe no período em que Lynne interveio no caso (equivalente a 8,08 milhões, em reais). 

Na última terça-feira, 5, o advogado de Britney, Mathew Rosengar, compareceu ao tribunal, alegando que Britney sustentou os luxos da mãe por mais de uma década e não deve continuar sendo cobrada.

Segundo o portal norte americano Daily Mail, Mathew apresentou o segundo pronunciamento, contra as cobranças de Lynne:

“Por pelo menos uma década residiu em uma grande e expansiva casa de propriedade de Britney Spears em Kentwood, Louisiana, pela qual sua filha também continuamente —  e generosamente —  pagou serviços de Lynne Spears, serviços telefônicos, seguros, impostos sobre a propriedade, paisagismo, piscina trabalho, controle de pragas, reparos e manutenção”, alegou a defesa da artista.