Brie Larson conta que chegou a recusar papel de Capitã Marvel

Ludimila Honorato - O Estado de S.Paulo

Por duas vezes, ao menos, atriz negou atuar como protagonista do filme por achar que era 'muito' para ela

Brie Larson no papel de Capitã Marvel.

Brie Larson no papel de Capitã Marvel. Foto: Chuck Zlotnick/Marvel Studios

Brie Larson encaixou-se muito bem no papel de Capitã Marvel, não dá para negar , mas a história poderia ter sido diferente se a Marvel não tivesse persistido na oferta após ela recusar o trabalho por ao menos duas vezes.

Em um vídeo publicado no YouTube, a atriz compartilhou algumas experiências em audições para filmes e contou que foi reprovada em Thor, Avatar, Homem de Ferro 2 e Transformers.

Outras curiosidades é que ela chegou à etapa final dos longas Tomorrowland: A World BeyondPeter Pan e do seriado The Bang Big Theory, além de não ter conseguido um papel no primeiro momento, porém, após mudanças, ser chamada para o trabalho.

Sobre o filme Capitã Marvel, o chefe da Marvel, Kevin Feige, já tinha falado que Brie teve de passar por uma seleção muito rigorosa para virar a heroína. No vídeo, a atriz contou que estava gravando Kong na Austrália quando recebeu uma ligação, informando que a empresa tinha interesse nela para o papel principal.

"Eu pensei: 'não posso fazer isso, eu tenho muita ansiedade, é muito para mim, acho que não posso lidar com isso', então eu disse não", lembrou. Alguns meses depois, a equipe ligou novamente para saber se ela tinha certeza, ao que ela respondeu: "claro, eu sou muito introvertida, isso é muito grande para mim".

"O ponto é: toda vez que eu dizia não a eles, e eu pensava que meu time estava dizendo não, eles não estavam. Acho que eles pensavam 'ela deve se boa para isso'", disse Brie. Ela comentou que quando está trabalhando em um personagem, que era o caso de Kong, não consegue pensar em outros trabalhos, faz apenas uma coisa de cada vez. Então, todos esperaram que ela concluísse as filmagens que vinha fazendo.

Por fim, ela aceitou conversar com o time ad Marvel. "Eu tive uma reunião com eles e eles tinham uma apresentação, um modelo do figurino e eu fiquei muito tocada pelo que eles estavam tentando alcançar, pelo que estavam falando", lembrou. "Fiquei muito surpresa com aquilo, pela forma como eles falavam de feminismo e lidando com aquilo."

Motivada pelo fato de que mulheres estariam escrevendo e dirigindo o filme, e que o desejo era ter o maior número possível de vozes femininas na produção, a atriz quis conversar com as escritoras, saber o que estavam fazendo e se a história fazia sentido. De volta para casa, impressionada, ela resolveu aceitar o papel. "Eu nunca passei por um processo desse", comentou.

Assista ao vídeo abaixo: