Barbra Streisand diz que suposto abuso de Michael Jackson 'não matou' as vítimas

Agência - AP

Cantora está enfrentando críticas na internet por declarações sobre o documentário da HBO 'Leaving Neverland'

Cantora Barbra Streisand no Oscar em fevereiro 

Cantora Barbra Streisand no Oscar em fevereiro  Foto: Chris Pizzello/ Invision/AP

Barbra Streisand está recebendo críticas intensas nas mídias sociais por falar a um jornal britânico que dois homens que dizem que foram molestados quando eram crianças por Michael Jackson estavam "emocionados por estar lá" e que o suposto abuso "não os matou".

Em uma entrevista ampla para o Times of London, Streisand afirmou que "absolutamente" acredita nas denúncias que Wade Robson e James Safechuck fizeram no documentário da HBO Leaving Neverland.

Mas a lendária cantora também levantou as sobrancelhas ao dizer que "as necessidades sexuais de Jackson eram sua necessidades sexuais".

Uma mensagem foi deixada no sábado com representantes da Streisand para comentar.

 

Os representantes de Jackson condenaram o documentário da HBO. A estrela pop, que morreu em 2009, foi considerada inocente em 2005 de acusações de ter molestado um menino de 13 anos de idade.