Bárbara Borges fala de alcoolismo: 'Estou me salvando, mas tenho recaídas'

Redação - O Estado de S.Paulo

'Foi uma reconstrução, um recomeçar. Eu fui meio que desintoxicando minha vida', explicou a atriz

Bárbara Borges falou sobre vício em bebidas pela primeira vez em 2019

Bárbara Borges falou sobre vício em bebidas pela primeira vez em 2019 Foto: Instagram/ @barbaraborgesoficial

Bárbara Borges falou sobre o processo de cura do alcoolismo nesta segunda-feira, 13. Em entrevista ao podcast Novela das 9, da Globo, ela explicou o que a motivou a dividir a batalha contra a bebida com o público, em 2019. 

Na época, Bárbara estava há quatro meses sem beber e decidiu compartilhar um relato nas redes sociais sobre isso. A ideia era apenas fazer um alerta, porém o post repercutiu muito e ela recebeu diversas mensagens de pessoas que estavam vivendo algo parecido.

"Quando me tornei mãe (de Martin Bem e Theo Bem), senti essa necessidade de afastar o meu lado atriz e minha persona veio mais à tona. Então, comecei a falar sobre assuntos que eu estava descobrindo enquanto mãe, enquanto Bárbara (...) Fui me revelando para quem me acompanhava. E foram momentos muito complexos que eu estava vivendo também, porque a maternidade trouxe aquela sensação de que, de repente, eu estava vivendo uma nova e tinha que me entender nela", iniciou. 

Nessa época, ela percebeu, com o apoio da psicoterapia, que enfrentava alguns abusos. "Antes era só beber e ficar de boa, como todo mundo bebe, brinca e socializa. Só que, durante a maternidade, eu estava vivendo um momento muito difícil no meu casamento, comecei a observar que tinha alguns abusos. Aí fiz um post falando que eu estava deixando de lado a minha relação de exagero com o álcool", continuou.

Com a repercussão da publicação muito maior do que o esperado, Bárbara passou a receber mensagens de fãs: "Eu comecei a ver que tem uma responsabilidade, um peso muito grande nisso, porque é sobre alcoolismo, uma doença. É muito sério falar sobre o alcoolismo. E eu precisava dizer que estou no meu processo de cura de muitas coisas, e ele é diferente do das outras pessoas. Eu não posso jamais e nem quero levantar uma bandeira e fazer o papel da salvadora".

"Estou me salvando, mas tenho recaídas. Estou em processo, vivendo. E hoje, descobri que a relação que eu estava vivendo antes era tóxica de um modo geral, eu precisava me tirar dela. Também estava sendo tóxica comigo. Então, graças a muita terapia e ao meu trabalho com espiritualidade, me sinto à vontade para falar que não estou aqui para salvar ninguém. Posso ajudar a inspirar pessoas a buscarem o caminho delas, a buscarem ajuda. E eu continuo seguindo a minha vida, com altos e baixos", analisou.

"O que me deixa tranquila é que eu senti que havia algo de errado e acabei expondo isso. Eu fui para o olho do furacão mudar a minha dinâmica. Busquei ajuda terapêutica, tive conexão espiritual. Fiz tudo que podia para parar de girar a roda do jeito que estava me fazendo sofrer. Foi uma reconstrução, um recomeçar. Eu fui meio que desintoxicando minha vida e voltando. Voltando ao zero para redescobrir meu amor próprio, minha força. É um processo. Hoje eu posso brindar. Não sinto mais vontade porque eu quebrei a minha dinâmica. Nesse sentido está curado", completou.