Atriz revela sofrer com epilepsia: 'Vivi um período de negação'

Redação - O Estado de S.Paulo

Júlia Almeida, que atuou na novela 'Tempo de Amar', falou sobre o preconceito contra a doença

A atriz Júlia Almeida.

A atriz Júlia Almeida. Foto: Instagram / @julia.almeidabailey

A atriz Júlia Almeida, que estava longe das novelas há seis anos, falou sobre sua luta contra a epilepsia, problema como qual sofre desde jovem, em entrevista ao jornal O Globo.

Júlia revelou ter recebido o diagnóstico com apenas oito anos de idade, após sofrer com convulsões e meningite, e que, após bastante tempo sem grandes problemas, as crises retornaram há cerca de oito anos."Prefiro chamar de 'condição neurológica' para não tratar o epilético como doente", ressaltou.

A atriz falou sobre as dificuldades do dia a dia, como não poder dirigir sozinha e nem ingerir muitas bebidas alcóolicas. "Vivi um período de negação. Só agora me senti pronta para combater o preconceito. A epilepsia é um curto-circuito no cérebro que pode ser atenuado com o uso constante de remédios", explicou, sobre os motivos de só ter falado sobre o caso agora.

VEJA TAMBÉM: Artistas que já falaram abertamente sobre saúde mental

Júlia estava afastada das novelas desde A Vida da Gente, há seis anos, em 2012, e retornou à frente das câmeras recentemente para uma participação em Tempo de Amar, novela encerrada no último dia 19. Um de seus papéis mais lembrados é o de Vidinha, de Mulheres Apaixonadas.

Júlia Almeida como Vidinha, ao lado de Camila Pitanga e Giselle Policarpo, em 'Mulheres Apaixonadas'.

Júlia Almeida como Vidinha, ao lado de Camila Pitanga e Giselle Policarpo, em 'Mulheres Apaixonadas'. Foto: Renato Rocha Miranda / Globo / Divulgação

A atriz fará parte de um evento sobre a conscientização no próximo dia 26 de março, Dia Internacional da Conscientização sobre a Epilepsia.