Atriz de 'Smallville' acusada de tráfico sexual pede permissão para voltar a atuar

Redação - O Estado de S.Paulo

Allison Mack está em prisão domiciliar enquanto aguarda julgamento

Allison Mack foi acusada de tráfico sexual após participar de uma seita de escravas sexuais. 

Allison Mack foi acusada de tráfico sexual após participar de uma seita de escravas sexuais.  Foto: REUTERS/Brendan McDermid

Allison Mack, atriz da série Smallville que está sendo acusada de liderar a seita de mulheres NXIVM e de cometer tráfico sexual e outros crimes, está pedindo à Justiça autorização para voltar a atuar. A atriz está aguardando julgamento em prisão domiciliar após pagar fiança de US$ 5 milhões (cerca de R$ 18 milhões).

De acordo com o E! News, Allison pediu para a Justiça para sair da casa dos pais em Alamitos, na Califórnia, onde ela está em prisão domiciliar, para que ela possa tentar trabalhar novamente como atriz, ir à igreja e estudar.

Em novembro de 2017, atriz foi identificada pela polícia como uma das líderes da seita NXIVM, na qual mulheres eram marcadas na pele com ferro quente com as letras K e R, proibidas de se alimentarem e deveriam recrutar novas escravas sexuais para o grupo. A organização foi fundada por Keith Raniere.

Na época, o The New York Times noticiou que Raniere liderava ainda o DOS, uma sociedade secreta de mulheres dentro do grupo NXIVM, na qual as participantes debatiam estratégias de evolução pessoas e sobre como viver uma vida bem-sucedida. No DOS, as mulheres tinham de revelar segredos de suas vidas pessoais, e eram escravas sexuais dos líderes.

Em junho, Allison admitiu que marcava as participantes da seita com ferro quente. "Eu pensei: 'Uma tatuagem? As pessoas ficam bêbadas e tatuam 'amigos para sempre' no tornozelo ou qualquer besteira nas costas'. Eu tenho duas tatuagens e elas não significam nada", disse ela à New York Times Magazine. Os casos teriam acontecido entre 2016 e 2017.