Atriz de ‘Grey’s Anatomy’ diz ter sido assediada pelo diretor James Toback

Redação - O Estado de S.Paulo

Ela se junta a mais de 300 mulheres que também denunciaram o diretor por ‘comportamento predatório’

Atriz diz ter sido assediado pelo diretor no ano 2000

Atriz diz ter sido assediado pelo diretor no ano 2000 Foto: Mitch Haaseth / ABC

Caterina Scorsone, conhecida por sua atuação em Grey’s Anatomy, usou um post no Instagram para revelar que foi assediada pelo diretor James Toback quando ela tinha 19 anos. Ela se juntou a centenas de outras mulheres que contaram os seus próprios casos de assédio praticados pelo diretor.

No último dia 28 de outubro, Caterina revelou que já fora assediada pelo diretor: “Em resposta à negação de James Toback na revista Rolling Stone de que teria assediado mulheres, eu sinto a obrigação de corroborar as histórias das mulheres que o acusam. Quero deixar claro que o diretor predador sobre o qual eu escrevi no artigo que postei dias atrás é James Toback”.

O artigo a que ela se refere é um texto escrito por ela mesma no ano 2000, no qual ela denunciava que havia sido assediada por um diretor proeminente. Esse artigo foi postado em seu Instagram no último dia 16 de outubro. Tanto no texto originalmente publicado quanto no post recente, ela não revelou a identidade do diretor.

No entanto, após centenas de atrizes acusarem James Toback de tê-las assediado e ele negar veementemente em entrevista à Rolling Stone, Caterina decidiu que deveria desmascarar o diretor. Entre as atrizes que o acusam estão Julianne Moore, Selma Blair e Rachel McAdams.

“Muitas pessoas da indústria sabiam sobre o caso e me encorajaram a permanecer em silêncio. Eu não obedeci e isso afetou diretamente a minha carreira. Eu apoio as mulheres que foram corajosas o bastante para contar suas histórias”, escreveu a atriz. Ela ainda usou a hashtag #metoo, uma iniciativa de internautas para apoiarem mais mulheres a contarem seus casos de assédio.

Confira as publicações:

Tradução: "Eu escrevi esse artigo há 17 anos. Eu era uma adolescente. Após publicar, eu encerrei minha carreira em resposta a todo o silêncio que obtive em resposta a esse assunto. Eu voltei depois a atuar como uma adulta, apoiada por produtores como Shonda Rhimes. Ela é um exemplo do lado bom desta indústria. Estes exemplos existem. Vamos acabar com os demais"

 

Tradução: "Em resposta à negativa de James Toback na Rolling Stone, eu me sinto na obrigação de corroborar as histórias destas mulheres. Eu quero deixar claro que o diretor predador sobre o qual eu escrevi alguns dias atrás é James Toback. O artigo foi escrito há 17 anos. Muitas pessoas da indústria sabiam da situação e me encorajaram a permanecer em silêncio. Eu não obedeci e minha carreira foi afetada diretamente. Eu apoio todas as mulheres que foram corajosas o bastante para contar suas histórias. Eu também apoio aquelas que ainda não se sentem preparadas para contar. Vamos jogar luz em todos os cantos escuros"