Atividade física na meia-idade: arma eficiente contra o colesterol

Gabriela Carelli - O Estado de S.Paulo

Prática regular de exercícios aeróbios adia em até 15 anos o aumento da substância no sangue

As pessoas que mantinham atividade aeróbia “baixa” apresentaram colesterol ruim elevado entre 30 e 35 anos e níveis anormais de colesterol bom já aos 20 anos

As pessoas que mantinham atividade aeróbia “baixa” apresentaram colesterol ruim elevado entre 30 e 35 anos e níveis anormais de colesterol bom já aos 20 anos Foto: Curtis MacNewton / Creative Commons

Eis mais um bom motivo para abandonar o sedentarismo: quem pratica exercícios aeróbios, como corrida, natação e ciclismo, regularmente, desde a juventude, pode adiar em até 15 anos o aumento natural de colesterol no organismo - um processo decorrente do envelhecimento. Esta é a conclusão de um estudo que avaliou 11,5 mil americanos saudáveis de diversas faixas etárias por 35 anos. A pesquisa foi divulgada no jornal da Associação Americana de Cardiologia. 

Foram avaliados os índices de colesterol total, de colesterol ruim (LDL), de colesterol bom (HDL) e de triglicérides dos participantes, divididos por idade e por atividade cardiorrespiratória (baixa, média e alta). As pessoas que mantinham atividade aeróbia “baixa” apresentaram colesterol ruim elevado entre 30 e 35 anos e níveis anormais de colesterol bom já aos 20 anos. Os que mantinham atividade cardiorrespiratória “alta” não apresentaram alterações no colesterol ruim até os 45 anos - e os níveis de colesterol bom permaneceram altos toda a vida.

As doses de colesterol no sangue relacionadas com enfartes e derrames costumam subir expressivamente na meia-idade, muitas vezes atingindo o seu pico nesse período da vida para, depois, começar a cair. É uma fase crítica. Outros estudos mostraram que para cada 10 anos de colesterol elevado entre os 35 e 55 anos de idade, o risco de cardiopatias aumenta até 40%. 

O colesterol, em níveis normais, tem uma função importantíssima no organismo: preserva a membrana das artérias e auxilia na síntese dos hormônios. Mas o acúmulo de colesterol e outras substâncias nas paredes das artérias restringe o fluxo sanguíneo e causa danos sérios à saúde.