Apresentador se desculpa após bifobia ao vivo com ex-jogador Richarlyson

Redação - O Estado de S.Paulo

Ao comentar sexualidade de atleta, Ender Love disse que ‘essa história de bissexual no mínimo é bicha’ e, após repercussão negativa, se retratou nas redes sociais

Ender Love durante o programa 'Vida Alheia', da Band Paraná

Ender Love durante o programa 'Vida Alheia', da Band Paraná Foto: Band Paraná

Após revelar bissexualidade, Richarlyson sofreu bifobia por parte do apresentador Ender Love. No programa Vida Alheia, da Band Paraná, desta sexta-feira, 24, ele disse não acreditar na sexualidade de Richarlyson. 

Ender chamou o atleta de “bicha” e também fez comentários homofóbicos contra a torcida do São Paulo — time que Richarlyson defendeu de 2005 a 2010. 

“Deixa eu falar uma coisa para você, Richarlyson: Mexerica sente cheiro de mexerica de longe! Essa história de bissexual no mínimo é 'bicha'. Ah, Richarlyson, para! Ninguém está te criticando se você é hétero, mas eu não acredito na bissexualidade”, disse o apresentador. 

“Mas está aí, ele disse que tirou um peso das costas. Imagine isso no vestiário, o trabalho que dava? Ele era do São Paulo? Diz que é a única torcida do Brasil que não briga, porque ao invés de brigar eles ficam vendendo Mary Kay, Jequiti, Avon na arquibancada. Tá aí o Richarlyson, disse que não é gay, que é bissexual. Produção, isso é pegadinha, não é? É fake news”, continuou. 

Após sua fala repercutir negativamente nas redes sociais, Ender Love publicou um vídeo no Instagram pedindo desculpas. Ele disse que, por ser um homem gay, sente o preconceito na pele. 

“Hoje eu fiz um comentário um tanto quanto desagradável a respeito da classe LGBTQ+, da qual eu faço parte e sinto o preconceito todos os dias na pele. Sou um homem gay sim, defendo e sempre defenderei a causa. A minha causa LGBT vai estar sempre tatuada no meu coração”, afirmou. 

“Se errei, meu perdão para quem se sentiu ofendido. Errar é humano, e saber pedir perdão é para poucos. Estou aqui passando para falar para você que foi um erro da minha parte, mas que eu sempre lutarei por qualquer tipo de causa. A vida do Ender Love no meio LGBTQIA+ não começou agora, começou lá em 2004”, alegou.