Apresentador pede desculpas a Ludmilla e diz que 'pobre macaca' não é ato de racismo

- O Estado de S.Paulo

Marcão do Povo, do Balanço Geral - DF ainda disse que a cantora 'está vivendo de processos, não de shows'

Marcão do Povo disse que 'Ludmilla está vivendo de processos, não de shows'.

Marcão do Povo disse que 'Ludmilla está vivendo de processos, não de shows'. Foto: Divulgação | Reprodução/Record TV

Marcão do Povo, o apresentador do Balanço Geral da TV Record do Distrito Federal, resolveu se desculpar com a cantora Ludmilla após chamá-la de 'pobre macaca' em seu programa. 

Em entrevista ao site Timeline Gaúcha na última quinta-feira, 19, o apresentador justificou sua fala. "'Pobre macaca' são pessoas que eram pobres e conseguiram subir na vida. Ela era pobre e conseguiu subir na vida. E não dá valor a seus fãs. Em momento algum eu cometi ato racista", disse Marcão. 

Ele ainda afirmou que não tem nada contra a cantora. "É uma expressão usada principalmente por nós que fomos criados no interior. Temos essa brincadeira, uma expressão usada em bares. De maneira alguma eu quis 'denegrir' a imagem de Ludmilla", justificou.

Depois das explicações, ele resolveu se desculpar: "Eu peço desculpas à Ludmilla e a todos os seus fãs". Sobre o anúncio de que Ludmilla vai processá-lo, ele se defendeu ironizando as ações da cantora na Justiça. "A Ludmilla entrou com ação contra alguém que falou que o cabelo dela era preto. Entrou com ação porque alguém falou que o short dela era preto. Ela está vivendo de processos, não de shows. Até porque está muito em baixa a cantora hoje no Brasil. Ah, e nem sabemos se o nome dela é Ludmilla ou Kátia. Para não atender o povo, ela diz que é Katia", disse.

Ele finalizou dizendo que ainda não foi demitido da Record TV. "Não assinei o destrato ainda e quero continuar", comentou Marcão.