Apoiadores do Estado Islâmico tinham príncipe George como alvo

Mchael Holden - Reuters

Husnain Rashid enviou mensagem do príncipe ao lado de um jihadista com a legenda: 'Nem mesmo a família real será deixada em paz'

O príncipe George

O príncipe George Foto: Richard Pohle / Reuters

O britânico que havia sugerido que militantes do Estado Islâmico deveriam ter como alvo o príncipe George, de 4 anos de idade, foi considerado culpado por crimes de terrorismo nesta quinta-feira, 31.

Husnain Rashid, 32, enviou mensagens no aplicativo de Telegram encorajando jihadistas a planejar ataques de acordo com as informações para ajudá-los com possíveis alvos, como estádios de futebol.

Promotores disseram que ele chegou a postar uma foto do príncipe George próximo à silhueta de um militante jihadista. A postagem incluía o endereço de sua escola, na região sudoeste de Londres, acompanhada da legenda: "Nem mesmo a família real será deixada em paz."

Rashid havia inicialmente negado as acusações, mas, durante seu julgamento na Woolwich Crown Court, mudou sua apelação para culpado, admitindo ter se engajado numa conduta de preparação para o terrorismo em três ocasiões, e uma encorajando o terrorismo, de acordo com a polícia.

Ele será sentenciado no dia 28 de junho.

Em outra mensagem, Rashid incluiu um mapa da Sexta Avenida de Nova York, com a legenda: "Parada de Halloween de Nova York. Vocês estão se preparando? A contagem começa."

Husnain Rashid

Husnain Rashid Foto: GMP / Handout via Reuters