Alok recebe homenagem por realizar show com tradução em Libras

João Pedro Malar* - O Estado de S.Paulo

'A música não é só o som e batida', disse o DJ; a apresentação foi a primeira de música eletrônica que contou com uma intérprete da Língua Brasileira de Sinais

O DJ Alok

O DJ Alok Foto: Iara Morselli/Estadão

O DJ Alok recebeu uma homenagem nesta terça-feira, 14, da Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo (Alesp) por ter realizado o primeiro show de música eletrônica no Brasil com tradução em Língua Brasileira de Sinais (Libras). A iniciativa foi da deputada estadual Letícia Aguiar.

O show ocorreu em 30 de novembro de 2019, na comemoração do aniversário do parque de diversões Hopi Hari. A deputada registrou um requerimento com voto de congratulações na Câmara nesta terça-feira, 14.

“A música não é só o som e batida, mas também uma mistura de sentimentos e energia. Então, estou muito feliz em levar essa nova experiência para a galera que curte meu trabalho, pois sinto que precisamos estar cada vez mais próximos e mais conectados”, comentou Alok sobre o reconhecimento que recebeu.

A tradução em Libras foi feita pela intérprete Mariana Lima, que traduziu músicas do DJ como Hear me Now, Ocean e On & On.

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Quando fui chamada pra fazer o show do Alok no Hopi Hari , fiquei muito feliz. Alguns intérpretes e colegas de trabalho me disseram “nossa. Show de dj em LibraS? Nada a ver. Não combina. Desnecessário”. Mas Deus continua à minha frente e tive a certeza que seria incrível e NECESSÁRIO. O show foi, de fato, incrível. Alok é sobrenatural. Uma das pessoas mais queridas da vida. Se pesquisarem só verão coisas maravilhosas a respeito dele. Ele é o cara QUE MERECE ter suas apresentações lotadas. Não vejo soberba nele. Ele é amor. Simples assim. (Pesquisem!) Hoje, ainda inebriada com essa experiência, recebi o vídeo dos surdos cantando junto com Alok, me copiando em Libras. Eu os vi diversas vezes. Brincando. Conversando. Cantando. Me copiando. Paquerando... hehehe! Quando vi este vídeo fiquei muito emocionada. Chorei por longos minutos. Este vídeo foi a resposta para alguns dos meus questionamentos. Como é bom ser a nau de alguém. Como é bom meu trabalho ser mais que “apenas um trabalho”. Gostaria que todos (principalmente aqueles que trabalham na área) vissem o quanto ainda limitamos os surdos. Como assim “não combina” surdo querer ir ver o Alok??? Ele é muito querido pelos surdos!!! Soube ontem a quantidade de fãs surdos e deficientes auditivos ele tem. “Liberdade pra dentro da cabeça” galera. Porque a mente aprisiona mais que muitas atitudes que temos. Minha luta será para que os surdos sejam bem recebidos e quaisquer lugares aonde desejem ir. Assim sendo, que a graça de Deus nos acompanhe. #alok #djalok #acessibilidade #hopihari #libras

Uma publicação compartilhada por (@marianalaislima) em

Alok lança música com padre Reginaldo Manzotti

Alok também lançou nesta terça, 14, uma música feita em parceria com o padre Reginaldo Manzotti. Intitulada Vou Para o Alvo, a produção chamou atenção na internet pela combinação de música eletrônica com gospel.

“Sou fã de música eletrônica e trouxe esta inovação”, disse o padre em um post no seu Instagram. Alok, que recentemente anunciou o nascimento do filho, Ravi, também falou da música em sua rede social. “Foi um prazer trabalhar com você [padre Manzotti]”, comentou em um story.

Confira algumas reações nas redes sociais:

*Estagiário sob supervisão de Charlise Morais