‘Adoeci meu corpo e minha alma’, diz Preta Gil sobre padrões de beleza

Bárbara Correa* - O Estado de S.Paulo

A cantora compartilhou uma foto editada do seu corpo e depois a real para falar sobre pressão estética por magreza

A cantora Preta Gil revelou que a pressão para se encaixar no padrão de beleza a adoeceu 

A cantora Preta Gil revelou que a pressão para se encaixar no padrão de beleza a adoeceu  Foto: Instragram/ @pretagil

Preta Gil publicou uma foto de biquíni editada, para reduzir suas medidas, neste domingo, 31. Algumas horas depois, a cantora compartilhou em outro post nas redes sociais a imagem real do seu corpo. 

Preta fez isso para falar sobre pressão estética por magreza que muitas mulheres sofrem, principalmente na internet, e para incentivar suas seguidoras a amarem e respeitarem o próprio corpo. 

“Quem me vê hoje pode achar que eu sempre tive essa relação mais liberta com meu corpo, mas nem sempre foi assim. O processo de autoamor para mim e minha geração não foi fácil, sou de uma época em que não tinha outra alternativa a não ser o padrão. O único corpo possível era magro e sarado", escreveu a artista em seu Instagram.

"Eu tentei me enquadrar nesses padrões, mas adoeci meu corpo e minha alma. Foi uma longa jornada até aqui. Passei a me amar, amo meu corpo do jeito que ele é. Sei que a maturidade me ajudou”. 

“Por isso, eu digo e repito para você que é jovem, não perca seu tempo tentando se enquadrar em um padrão que só vai te adoecer. Busque se amar, se respeitar e enxergar a beleza em todos os tipos de corpos, inclusive o seu próprio!", finalizou ela. 

Preta Gil e sua relação de amor próprio

Essa não é a primeira vez que a filha de Gilberto Gil compartilha aprendizados e experiências sobre a relação com o próprio corpo. Em outubro do ano passado, ela revelou que tinha feito quatro lipoaspirações devido a ataques que sofreu, há 18 anos, depois de posar nua na capa do seu primeiro disco, Prêt-à Porter

 Em entrevista ao podcast Simples Assim, a cantora disse que se arrepende das cirurgias. “Quando você pega o fio da meada do amor próprio, é um caminho sem volta(...)Eu entendi que aquelas lipoaspirações foram uma mutilação do meu corpo (...) Não amo a minha barriga de lipo", afirmou.

Mesmo se sentindo assim, a artista ressignificou as pressões que viveu e incentiva os seus seguidores a se amarem. Em 2018, ela publicou que finalmente se sentia livre de algumas amarras que tinha, na legenda de uma foto dela de biquíni. “Precisamos de uma vez por todas nos livrar de antigos padrões que nos eram impostos. Eu não posso e não quero ser prisioneira da minha forma física. Sim, eu tenho celulite, sim eu tenho estria e isso não vai mudar e não vou me esconder com vergonha”. 

Pouco tempo depois, em janeiro de 2019, ela mobilizou seguidores a celebrarem o amor próprio também compartilhando fotos de biquínis. A artista foi marcada em diversas publicações e resolveu fazer uma montagem com diversos os fãs que também não queriam ser prisioneiros da forma física.

“Quando algo que nós fazemos influencia as pessoas a se amarem e respeitarem é de uma emoção única. Quando eu falava para vocês se libertarem, eu sei muito bem que não é fácil e sei bem porque para mim também não foi, mas o gostinho de sermos livres não tem preço”, agradeceu.

*Estagiária sob supervisão de Charlise Morais