Em mais uma restauração malsucedida, estátua do século 15 vira piada nas redes

- AFP

Estátua fica em capela em Asturias, na Espanha, e ganhou roupas coloridas e maquiagem vibrante, gerando revolta do governo do país

A Espanha teve mais uma restauração malsucedida: estátua da Virgem Maria do século 15 ganhou cores vibrantes em capela na região de Asturias. 

A Espanha teve mais uma restauração malsucedida: estátua da Virgem Maria do século 15 ganhou cores vibrantes em capela na região de Asturias.  Foto: DSF/AFP

Uma virgem com um manto rosa vibrante, outra de cabelo verde água e um São Pedro estrábico: três estátuas do século 15, agora pintadas com cores kitsch, viraram o último escândalo de restaurações amadoras da Espanha.

São três esculturas de madeira numa capela em Rañadoiro, Asturias, restauradas de maneira mal feita com cores vibrantes. As imagens do antes e depois, nas quais se vê Santa Ana com os olhos pintados de preto e os lábios cor de rosa, o menino Jesus com uma roupa verde vibrante e São Pedro vestido de vermelho sangue e dourado, podiam ser vistas nas redes sociais buscando "Rañadoiro".

Esse caso é semelhante ao do Ecce Homo de Borja, o quadro restaurado em 2012 por uma vizinha octagneária que virou piada mundial ao deixar Cristo com aspecto símio.

"É uma loucura", disse à AFP o restaurador Luis Suárez Saro, que esteve a cargo de uma primeira restauração entre 2002 e 2003, aprovada pelo governo regional de Asturias. As esculturas "são um testemunho da arte popular asturiana do século 15", disse.

Mais um 'Ecce Homo'? Restauração malsucedida na Espanha deixa Jesus Cristo com roupa verde Limão e Virgem Maria maquiada. 

Mais um 'Ecce Homo'? Restauração malsucedida na Espanha deixa Jesus Cristo com roupa verde Limão e Virgem Maria maquiada.  Foto: EFE/José Luis Cereijido

A "artista" agora foi uma habitante do local, a María Luisa Menéndez, de acordo com o jornal asturiano El Comercio. Ela recebeu autorização do pároco responsável pela capela.

"Eu não sou uma pintora profissional, mas sempre gostei de pintar, e as imagens precisavam muito ser pintadas. Assim, as pintei como pude, com as cores que gostei, que os vizinhos também gostaram", se defendeu a mulher em declarações ao jornal.

"É uma  mulher que gosta de desenhar e pintar, já fez alguns curtos e ela achou que [as estátuas] ficariam mais bonitas assim", lamentou Suárez Saro, que disse ter visto a restauração de perto.

Sem achar graça das brincadeiras que as imagens geraram nas redes sociais, a Associação de Restauradores da Espanha lamentou o novo caso. "De novo gritamos #SOSPatrimônio. Ninguém se importa com esse espólio no nosso país? Que tipo de sociedade permite, de maneira passiva, que destruam, diante de seus olhos, o legado dos antepassados?", escreveu em sua conta do Twitter.

O Ecce Homo de Borja foi notícia mundial e virou uma atração turística para o pequeno povoado, enquanto sua autora, Cecilia Giménez, passou a cobrar taxas para a utilização comercial de sua obra.

Em junho, veio a tona outra restauração fatal, de uma escultura medieval de São Jorge em Estella (Navarra), que passou a ser uma figura toda colorida e com expressividade facial de um personagem de Tintin.