Veja as personalidades que fazem o Brasil envelhecer melhor

Redação - O Estado de S.Paulo

Pesquisa elenca quem estimula brasileiro a melhorar a qualidade de vida, e porquê

Com 88 anos e em cena na novela O Outro Lado do Paraíso, a atriz é uma das brasileira que melhor envelhecem. Foi citada por 76% dos entrevistados. 

Com 88 anos e em cena na novela O Outro Lado do Paraíso, a atriz é uma das brasileira que melhor envelhecem. Foi citada por 76% dos entrevistados.  Foto: Wilton Junior/Estadão

Fernanda Montenegro, Marta Silva, Bill Gates e William Bonner são algumas das personalidades que estimulam o brasileiro a viver melhor, segundo a pesquisa “Como os brasileiros encaram o envelhecimento - versão 2017”, realizada pelo Instituto Qualibest. 

De forma geral, os entrevistados apontaram que a trajetória de pessoas como Marta Silva, jogadora de futebol, representam uma perspectiva de futuro e evolução da sociedade: a atacante desfez estereótipos e foi indicada a melhor jogadora de futebol do mundo. 

Veja quem são as personalidades que estimulam as pessoas a viverem melhor, e entenda o porquê. Você também pensaria assim?

João Cotta/Globo/Divulgação
Ver Galeria 11

11 imagens

A população idosa - pessoas com 60 anos ou mais - tem crescido em ritmo acelerado no Brasil. Dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) apontam que o número de idosos subiu de 4,7% para 8,5% entre 1960 e 2000. O Censo de 2010, o último realizado, identificou que a população já era de 10,8% de idosos, o equivalente a 20,5 milhões de brasileiros. Em 2030, estima a Organização Mundial da Saúde (OMS), o Brasil terá 32 milhões no Brasil. 

Nesse cenário, a campanha "Envelhecer Sem Vergonha", da qual a pesquisa aqui descrita faz parte, propõe que a sociedade repense o que é ser envelhecer. O diretor médico da Pfizer, empresa do setor de saúde, afirma que as discussões sobre envelhecimento estão cada vez mais prioritárias. “Há contradições importantes entre o que o brasileiro almeja e o que faz para garantir um cenário positivo. É essencial convocar todas as gerações para um debate aprofundado sobre o tema”.