Entenda as diferenças e como funcionam as tosas em cães e gatos

Marcos Leandro - Especial para o Estadão

Animais possuem necessidades diferentes de acordo com suas características físicas e o clima de onde vivem

Nem todos os cães precisam de tosa, explica especialista.

Nem todos os cães precisam de tosa, explica especialista. Foto: Freepik

A tosa em pets serve para manter a higiene, aliviar o calor ou até mesmo para questões estéticas. No entanto, a recomendação do procedimento varia de acordo com a raça e as características dos pets.

Mesmo a tosa sendo mais comum em cães, não são todos que precisam aparar os pelos, segundo Raphael Clímaco, diretor médico veterinário da Plamev Pet.

"Algumas raças específicas, para que obtenham o seu padrão, acabam tendo indicação de tosa, como é o caso do poodle", explica. "Mas existem raças com pelagem média ou longa, como, por exemplo, o golden retriever, que não carecem de tosa."

O ideal, nesses casos, é sempre procurar uma avaliação profissional para saber se o seu pet necessita do procedimento. Além disso, existem diferentes tipos de tosa, que podem variar de acordo com cada do animal. As mais comuns são:

  1. Tosa padrão (ou específica) de raça -  é aquela que conserva alguns atributos da raça. No caso do schnauzer, por exemplo, os pelos são aparados no corpo inteiro e deixados mais altos no bigode e sobrancelha;
  2. Tosa higiênica - é feita apenas para retirar os pelos de regiões onde acumulam sujeira, como patas e genitálias;
  3. Tosa bebê - diminui toda a pelagem do animal até atingir o tamanho dos pelos de um filhote.

Raphael explica que frequência ideal para o procedimento varia de acordo com a época do ano, a raça e a idade do animal. "Em climas mais frios, tosa-se menos do que em climas mais quentes."

Como a tosa é feita com máquina e tesoura, existem riscos ao tentar fazer em casa. "O animal se mexe muito, então precisa ter cuidado para não cortar a língua ou a orelha dele por acidente."

"A máquina de tosa esquenta quando passa muito tempo ligada. É muito comum ter queimaduras por conta dessa lâmina quente". Por isso, é recomendado procurar realizar a tosa em locais especializados.

 

 

Tosa em gatos

Os gatos possuem necessidades diferentes dos cachorros na hora dos cuidados com higienização. Em relação à tosa, o procedimento é menos comum e a recomendação é apenas para casos bem específicos.

Animais com pelagem muito longa e que moram em regiões mais quentes podem sofrer com o calor e, por isso, a tosa vira uma opção. Assim como nos cães, é importante consultar especialistas para saber se o animal precisa da tosa.

Tosa pode ser recomendada em gatos com pelos longos que vivem em locais mais quentes.

Tosa pode ser recomendada em gatos com pelos longos que vivem em locais mais quentes. Foto: Pixabay

No caso da tosa higiênica, ela pode ser feita em mais casos, explica Aline Lefol, CEO e fundadora da Lilu, app de serviços pet a domicílio. 

"O pelo entre as patinhas que a gente chama coxins, que são aquelas almofadinhas, vai crescendo de uma forma que o animal vai perdendo o contato com o chão. Na hora de pisar, ele começa a escorregar e pode até ter problemas de torcer a patinha", conta.

Segundo ela, os pelos também podem acumular sujeira e acabar desenvolvendo dermatite. Então a tosa é feita em locais como virilha, patas e região íntima como forma de higienização.

"Os tutores que têm gatos com pelagem longa, como é o caso dos persas, precisam ter um cuidado maior com a higiene e implica escovação da pelagem e os banhos a cada três meses", reforça. A especialista completa que, quando não há esses cuidados, o pelo começa a embolar.