Simpósio comemora centenário da escola de design alemã fechada pelo regime nazista

Camila Tuchlinski - O Estado de S.Paulo

Goethe-Institut realiza série de debates, com entrada franca, sobre obras e influências da Bauhaus

Têxtil: Anne Wilson - Disintigration Grid

Têxtil: Anne Wilson - Disintigration Grid Foto: Anne Wilson

Uma imersão na inovadora escola de arquitetura, artes e design fundada na Alemanha em 1919 e fechada pelo regime nazista 14 anos depois. O centenário da Bauhaus é comemorado com uma exposição que acontece no Sesc Pompéia e com o simpósio Bauhaus Imaginista no Goethe-Institut, em São Paulo.

A mostra Bauhaus Imaginista: Aprendizados Recíprocos é uma parceria do Sesc com o Goethe-Institut, Bauhaus Cooperation e Haus der Kulturen der Welt, de Berlim, e terá abertura nesta quarta-feira, 24, às 20h. As visitações vão até o dia 6 de janeiro e a entrada é franca. 

Os visitantes poderão conferir de perto o trabalho de 30 artistas em trezentas obras como cerâmicas, têxteis, desenhos, utensílios populares, livros originais da biblioteca da Bauhaus, cartazes, fotografias, publicações, correspondências e vídeos. O objetivo é investigar intercâmbios culturais entre vários movimentos globais de reforma estética que enxergavam na arte um agente de mudança social.

Ainda nas comemorações do centenário da inovadora escola de arte, arquitetura e design alemã, o Goethe-Institut oferece um simpósio que reunirá historiadores, escritores, arquitetos e artistas da própria exposição. Na quinta-feira, 25, a partir das 14h, os participantes terão uma oportunidade única de aprender mais sobre conceitos da Bauhaus no Brasil e no mundo.  Confira a programação completa.   

Simpósio Bauhaus imaginista

Goethe-Institut: Rua Lisboa, 974, em Pinheiros

Dia: 25 de outubro, a partir das 14h

14h - Introdução 

Palestrantes: Katharina von Ruckteschell, do Goethe-Institut, Regina Bittner, da Bauhaus100, Grant Watson, Luiza Proença, Marion Von Osten, da Bauhaus Imaginista

14h45 - A Bauhaus no Brasil: pedagogia e prática

Palestrantes: Adele Nelson, historiadora da Arte da Universidade do Texas (EUA), Ethel Leon, historiadora do design e professora

Mediação: Marion von Osten

15h30 - Des-habitat: modernidade, cultura material indígena e deslocamento

Palestrantes: Ailton Krenak, escritor, produtor gráfico e Paulo Tavares, arquiteto e pesquisador

Mediação: Luiza Proença

16h15 - Intervalo

16h45 - Teko Porã e subjetividade antropofágica 

Palestrantes: Cristine Takuá, filósofa e educadora e Suely Rolnik, filósofa e psicanalista

Mediação: Grant Watson

17h30 - O outro do outro: compreensões modernas

Palestrante: Laymert Garcia dos Santos

Mediação: Katharina von Ruckteschell

18h - Encerramento e discussão