Aos 65 anos, Dona Nena vai à escola pela primeira vez

- O Estado de S.Paulo

Apoiada pelos dois filhos, ela decidiu aprender a ler e escrever

Dona Nena, de 65 anos, vai para a escola pela primeira vez na vida.

Dona Nena, de 65 anos, vai para a escola pela primeira vez na vida. Foto: Reprodução/Facebook

Aos 65 anos, Dona Nena resolveu pôr em prática a frase 'nunca é tarde para aprender' e decidiu aprender a ler e escrever. A senhora mora em Foz do Iguaçu (PR) e se matriculou numa escola pela primeira vez na vida, e seus colegas de classe têm entre seis e oito anos.

A história foi relatada no Facebook por Izabelle Ferrari, jornalista que mora em Foz do Iguaçu e que tem um primo de seis anos, que contou-lhe que estudava com uma  essa senhora na Escola Municipal Monteiro Lobato.

A jornalista então procurou a instituição para conhecer Dona Nena. Chegando lá, a senhora contou que nunca pôde estudar quando era criança pois seu pai não deixava. Depois, casou-se e foi seu marido quem a impediu de estudar. "Menina muié não precisava estudar não", disse ela.

Há 20 anos ela se separou e, agora, aos 65, com o apoio de seus dois filhos, realizou esse antigo sonho de estudar. Foi até a escola mais próxima e perguntou para a secretária se poderia estudar ali: "Rose, não tem algum estudinho pra mim aí, não?"

A secretária ficou surpresa, não acreditou que Dona Nena conseguiria estudar durante o dia, junto com as crianças. Nena então resolveu conversar com a diretora: "Ela disse que se eu quisesse vir, podia vir, mas ela não acreditou que eu viria mesmo…”, contou.

Dona Nena e seus colegas de classe.

Dona Nena e seus colegas de classe. Foto: Reprodução/Facebook

Mas a senhora realmente apareceu para estudar e, quando chegou no portão pronta para a aula, a diretora e a secretária ficaram emocionadas. "Elas ficaram emocionadas. Choravam e me abraçavam! Diziam que se todos fossem como eu, nosso país estaria bem", relembrou Nena.

Desde então, ela tem comparecido às aulas regularmente. Nena conta que, se ela falta, as crianças vão até sua casa buscá-la. Independente da idade, ela é cheia de esperanças: "Sonho em ser uma professora, ser uma enfermagem… Eu quero ler pra mim abrir mais uma atividade. Nunca é tarde".

Confira o relato completo da conversa da jornalista com Dona Nena abaixo: