Saiba o que fazer em casos de intoxicação do seu bichinho de estimação

Ananda Portela* - O Estado de S.Paulo

Segundo o Centro de Informação Toxicológica do RS (CIT-RS), cães e gatos são responsáveis por 90% dos casos registrados

O primeiro passo depois da intoxicação é levar o bichinho ao veterinário o mais rápido possível

O primeiro passo depois da intoxicação é levar o bichinho ao veterinário o mais rápido possível Foto: Agência BOA

Deixar os bichinhos de estimação em casa dá um aperto no coração. Como estão sozinhos, eles ficam expostos a qualquer perigo doméstico, em especial, a intoxicação. O que fazer para evitar que os pets entrem em contato com alimentos nocivos e produtos de limpeza tóxicos?

A veterinária do Day Care Higienópolis, Tatiana Mauger, explica que se o animal fica sozinho por muito tempo, é bom evitar  ter plantas venenosas em casa. ”Se for um cão, deixar as plantas em lugar alto onde ele não consiga ter acesso. Se o pet for um gato, não ter plantas venenosas, porque gatos sobem e conseguem pegar, além de adorar comer plantas “, esclarece Tatiana.

Os sintomas da intoxicação são parecidos com os de outras doenças, o que preocupa ainda mais. “Uma simples indisposição alimentar pode causar vômitos nos animais, porém, esse sintoma aliado a outros, como febre, anorexia, diarreia, salivação excessiva e convulsões, por exemplo, indicam que o pet pode estar intoxicado”, conta a veterinária especialista da Hercosul Alimentos, Esther Reinheimer.

O primeiro passo é levar o animal ao veterinário com urgência, pois se a intoxicação for diagnosticada imediatamente após a ingestão de alimentos ou produtos tóxicos, sequelas graves ou até a morte do pet podem ser evitadas. "Muitos pets não suportam o nível de toxicidade de uma planta ou de um desinfetante, por exemplo. Além disso, além da contaminação oral, pode ocorrer a intoxicação mista, que afeta também a pele do bichinho", alerta Esther.

Mas aqui surge uma dúvida: “E se o veterinário for longe? O que fazer em casa?” A veterinária da Cobasi, Carla Storino Bernardes, explica que não é recomendado nenhum tipo de procedimento caseiro. Por isso, é necessário levar o animal à um profissional o mais rápido possível. “É recomendado levar o produto que originou a intoxicação ou identificar a planta ou o animal peçonhento que picou para o tratamento ser mais assertivo”, completa Carla.

Confira na galeria abaixo cinco dicas do que fazer depois que seu bichinho for intoxicado:

947051/Pixabay
Ver Galeria 5

5 imagens

Os gatos são ainda mais sensíveis às substâncias tóxicas e muito seletivos na hora de ingerir qualquer coisa. Porém, o simples ato de lamber os pelos pode provocar a intoxicação por algum produto utilizado na limpeza da casa.

Abelhas, marimbondos, medicamentos, plantas, cigarros, bebidas alcoólicas e cosméticos são alguns dos riscos para os animais de estimação. Muitos tutores alimentam seus pets com qualquer tipo de alimento, mas isso é muito grave. Trancar o banheiro, a cozinha e a área de serviço, informar-se sobre quais as plantas são tóxicas e impedir a exposição dos animais a produtos químicos são algumas medidas preventivas para evitar possíveis acidentes graves com seu pet.

Outro erro muito comum é a medicação intuitiva, feita sem consultar um profissional. Esther Reinheimer explica que a única pessoa capaz de medicar o pet é o veterinário, pois ele leva em consideração todas as características do animal.

Veja abaixo a galeria com as plantas tóxicas para os cães:

Zeca Wittner/Estadão
Ver Galeria 9

9 imagens

 

*Estagiária sob supervisão de Charlise Morais