Rússia nomeia gato surdo como oráculo oficial da Copa do Mundo

Redação - O Estado de S.Paulo

Achille já estava na função na Copa das Confederações do ano passado; Alemanha teve o Polvo Paul em 2010 como 'palpiteiro'

Gato Achille em junho de 2017, durante a Copa das Confederações. Ele teve de apostar em um vencedor entre Camarões e Austrália. 

Gato Achille em junho de 2017, durante a Copa das Confederações. Ele teve de apostar em um vencedor entre Camarões e Austrália.  Foto: AFP Photo / Olga Maltseva

Na última segunda-feira, 12, a Rússia nomeou um gato surdo como o oráculo oficial da Copa do Mundo 2018. O gato se chama Achille e vive no Museu Hermitage em São Petersburgo.

O felino branco já havia exercido essa função na Copa das Confederações do ano passado, quando acertou os resultados de quatro jogos.

Os gatos do Palácio de Inverno, sede do Hermitage, têm suas raízes no século 18, quando o imperador Pedro I abrigou no local um gato de que trouxe de uma viagem a Holanda. Atualmente, além de Aquiles, há cerca de cinquenta gatos vivendo no museu.

A Copa de 2010 também teve um animal oráculo, o Polvo Paul, da Alemanha. Na competição de 2014, que ocorreu no Brasil, o cargo foi ocupado pela Tartaruga 'Cabeção'.