Presídio australiano usa animais resgatados para reabilitar detentos

Redação - O Estado de S. Paulo

Espécies tiradas de cativeiro serão cuidadas por presidiários de Complexo Correcional em Sydney

Animais foram inseridos ao Complexo Correcional John Morony

Animais foram inseridos ao Complexo Correcional John Morony Foto: Saeed Khan/AFP

Uma prisão na Austrália resolveu usar animais em seu programa de reabilitação de detentos. Os prisioneiros ficaram responsáveis pelo cuidado de espécies resgatadas de cativeiro, que foram abandonadas ou atacadas por predadores.

Cangurus, emas, cobras, cacatuas e vombates são algumas das espécies nativas que foram incorporadas do Centro de Vida Selvagem no Complexo Correcional de John Morony, na região metropolitana de Sydney.

Funcionários do local dizem que o esquema incentiva o senso de responsabilidade e desenvolve habilidades de vida para que os infratores se preparem para o mundo exterior.

"É um impacto positivo real. Os animais podem às vezes ajudar as pessoas a se curar", disse Ian Mitchell, oficial do Centro de Vida Selvagem.

Os detentos selecionados para o programa são responsáveis ​​por alimentar e criar abrigos para os animais, além de serem ensinados a cuidar de seus ferimentos.

Alguns animais não devem sair do local porque ficam vulneráveis ​​a predadores. Mas a maioria é devolvida à natureza ou encontra um lar por meio da organização de resgate que os trouxe ao presídio.