Praticantes de ioga e meditação tendem a ser mais egocêntricos, diz pesquisa

Redação - O Estado de S.Paulo

Pesquisadores descobriram que logo após a prática das atividades, as pessoas tendem a se auto valorizar mais

Praticantes de ioga e meditação podem ser mais egocêntricos e vaidosos, segundo pesquisa.

Praticantes de ioga e meditação podem ser mais egocêntricos e vaidosos, segundo pesquisa. Foto: Pixabay

Um estudo publicado recentemente pela Universidade de Southampton e da Universidade de Mannheim no Psychological Science Journal mostrou que a prática de ioga e meditação aumentam o ego de seus praticantes.

Os pesquisadores testaram 93 praticantes de ioga, por um período de 15 semanas, e avaliaram regularmente o seu senso de auto-aperfeiçoamento. Eles usaram o Inventário de Personalidade Narcisita, o teste mais usado para medir egocentrismo e narcisismo, sendo o primeiro questionário sobre como eles se comparavam aos outros praticantes de ioga em sua turma.

Depois, os participantes tinham de responder a uma série de perguntas que indicavam tendências narcisistas, como definir se afirmações como "eu serei bem-visto pelas boas ações que farei" se aplicavam mais ou menos a eles. E, finalmente, os participantes preenchiam uma escala em perguntas como "no momento, eu estou com uma alta autoestima".

Quando os praticantes foram avaliados uma hora após a aula de ioga, eles mostraram um egocentrismo e uma vaidade muito maior do que quando eles não tinham participado da aula nas 24 horas anteriores.

Um segundo estudo com 162 pessoas mostrou que aquelas que praticam meditação têm impacto similar em seu ego aos que fazem ioga. No estudo, os participantes avaliaram a si mesmos baseados em comparações e em afirmações. Nos resultados, também notou-se que a autoestima era maior em até uma hora após a prática de meditação.