Por que a família real britânica faz tanto sucesso no Brasil?

Felipe Laurence* - O Estado de S.Paulo

Notícias sobre o casamento do príncipe Harry com Meghan Markle estão entre as mais procuradas nos principais veículos de comunicação do País

A família real britânica no palácio de Buckingham após o casamento do príncipe William e Kate Middleton em 2011 

A família real britânica no palácio de Buckingham após o casamento do príncipe William e Kate Middleton em 2011  Foto: Nir Elias/Reuters

O aguardado casamento do príncipe Harry com a atriz americana Meghan Markle acontece neste sábado, 19, mas já está mobilizando a imprensa mundial há meses. Várias emissoras brasileiras farão cobertura ao vivo do evento, que deve começar às 8h da manhã no horário de Brasília, e estima-se que o impacto da cerimônia nas redes sociais deve ser maior do que ocorreu no casamento do príncipe William com Kate Middleton, em 2011. Na época, o Brasil ficou entre os dez países que mais geraram conteúdo sobre o assunto no Facebook.

Aqui no E+, as notas e galerias que produzimos sobre a família real britânica sempre figuram entre as mais lidas no portal. O sucesso deste assunto levantou uma questão: afinal, por que a família real britânica faz tanto sucesso no Brasil? Apesar de o Brasil ter um histórico monárquico e membros da realeza britânica já terem passado por aqui no passado (2018 marca o aniversário de 50 anos da única visita da rainha Elizabeth II ao País), só isso não explica o interesse que grande parte dos brasileiros têm sobre o tema.

Aproximação com a plebe. Talvez o processo de modernização da monarquia britânica iniciado pela rainha Elizabeth II seja um caminho para desvendar a questão. Durante seu reinado, que já dura 66 anos, 'Lilibeth' usou a evolução dos meios de comunicação e o poder da imprensa para divulgar eventos, viagens e outros fatos "comuns" do dia a dia da família real como forma de aproximá-los da população.

A aposta deu retorno: a monarquia britânica é hoje muito mais popular do que as outras monarquias no mundo, obtendo status de celebridade e cobertura intensa no noticiários dos principais veículos do mundo.

A rainha Elizabeth II sendo recebida pelo presidente militar Artur Costa e Silva na sua visita ao Brasil em 1968

A rainha Elizabeth II sendo recebida pelo presidente militar Artur Costa e Silva na sua visita ao Brasil em 1968 Foto: Acervo Estadão

Para Simon Wood, cônsul-geral do Reino Unido no Rio de Janeiro, o carinho expressado pelos brasileiros se deve aos valores que a família real britânica representa no imaginário dos brasileiros. "Eles se mostram como uma família unida, que se respeitam, são muito ativos com obras de caridade e organizações que representam diferentes causas na sociedade", explica. "Esses valores ultrapassaram as barreiras do país e impactam os brasileiros assim como os britânicos", diz.

O diplomata também acredita que o interesse dos brasileiros na cultura britânica e as visitas recentes que membros da família real britânica fizeram ao Brasil, quando tiveram a chance de se aproximar da população, contribuíram para aumentar a popularidade deles por aqui. "Além da rainha, o príncipe Charles esteve no Brasil quatro vezes, o príncipe Harry veio 2012 e jogou futebol com crianças no Complexo do Alemão. Toda esse contato faz com que o interesse sobre a família real cresça", opina.

Conto de fadas real. A psicóloga Leila Cury Tardivo, professora do Instituto de Psicologia da USP, concorda com o raciocínio do cônsul-geral. Para ela, especialmente durante eventos como o casamento, a família real pode evocar um sentimento de fantasia e conto de fadas entre os brasileiros. "O dia-a-dia da vida real, essa cobertura de celebridade que é feita sobre eles, isso não interessa tanto para o brasileiro", diz. "Mas quando falamos do casamento, a preparação e o fato em si oferecem à população um momento de sonho e fantasia, de beleza e felicidade, quase como um filme mesmo", analisa.

A psicóloga acredita ainda que, em momentos de crise, como a enfrentada pelo Brasil atualmente, as pessoas tendem a buscar conforto na (falsa) imagem de perfeição que as celebridades – e a própria família real – exibem no dia a dia. "É óbvio que, no particular, a realeza tem todos os problemas e anseios de uma família comum. Mas o ideal que eles transmitem passa a sensação de estabilidade para quem está de fora", afirma.

Príncipe Harry em visita ao Complexo do Alemão quando veio ao Brasil em 2012

Príncipe Harry em visita ao Complexo do Alemão quando veio ao Brasil em 2012 Foto: Wilton Junior/Estadão

Memória coletiva. Já o príncipe Dom Bertrand de Orleans e Bragança, membro da família imperial brasileira, acredita que o interesse do brasileiro na monarquia vem da lembrança que a sociedade tem do período em que o País foi governado por um imperador. "O imenso charme e prestígio que uma monarquia traz para um país provoca um sentimento de pertencimento entre as pessoas", diz. "A família real nada mais é do que uma amplificação do núcleo familiar que encontramos em todas as residências".

O E+ fará cobertura ao vivo do casamento real neste sábado, 19, a partir das 6h da manhã. Acompanhe as atualizações minuto a minuto da cerimônia, que promete ser um novo marco histórico na família real britânica.

*Estagiário sob a coordenação de Charlise Morais