Pombo-correio é vendido por mais de R$ 5 milhões em leilão na Bélgica

AFP - Agende France-Presse

Armando foi comprado por um cidadão chinês e se tornou a ave mais cara da história

Pombos de corrida à venda em Bruxelas durante a Olimpíada de Pombos em janeiro de 2017.

Pombos de corrida à venda em Bruxelas durante a Olimpíada de Pombos em janeiro de 2017. Foto: Francois Lenoir / Reuters

Um pombo-correio treinado na Bélgica foi vendida em um leilão por 1,25 milhões de euros, equivalente a R$ 5,3 milhões, no último domingo, 17, o que o torna a ave mais cara da história, anunciou o site especializado Pigeon Paradise (Pipa).

"Ninguém esperava que se chegaria ao teto mágico de 1 milhão de euros. A quantia final (da venda) é de 1,252 milhões de euros", afirmou a entidade, sem detalhar a identidade do comprador.

A agência de notícias Belga, por sua vez, afirma que o comprador é um cidadão chinês que "certamente usará a ave com fins reprodutivos, para gerar novos campeões".

O animal, chamado Armando, foi criado em um estabelecimento de Joel Verschoot, um dos de maior reputação na Bélgica.

O interesse chinês por pombos-correios tem crescido nos últimos anos, o que elevou o preço dos "campeões", que são determinados por qual é o primeiro capaz de retornar ao seu poleiro desde o ponto de saída cituado a centenas de quilômetros.

Segundo Pipa, a pomba mais mais cara da história das vendas pela internet, até então, era Nel Bliksem, vendida em novembro de 2018 por 376 mil euros, equivalente a R$ 1,6 milhões.