Pinacoteca transforma obras de seu acervo em bonecos de crochê

Redação - O Estado de S.Paulo

Dois quadros pintados por Almeida Júnior inspiraram a produção dos artigos

Bonecos de crochê em homenagem a duas obras do pintor paulista Almeida Júnior estão à venda na loja da Pinacoteca de São Paulo.

Bonecos de crochê em homenagem a duas obras do pintor paulista Almeida Júnior estão à venda na loja da Pinacoteca de São Paulo. Foto: Pinacoteca de São Paulo/Divulgação

Duas pinturas que fazem parte do acervo da Pinacoteca de São Paulo inspiraram a criação de bonecos de crochê. Os artigos foram baseados em quadros do artista paulista Almeida Júnior, que viveu no século 19.

Em homenagem à obra Saudade, de 1899, foi fabricada uma boneca com vestes simples, olhando uma fotografia. O detalhe fica para uma lágrima que escorre de seu olho.

E com base na pintura Caipira Picando Fumo, de 1893, foi feita a figura de um homem com artefatos na mão para confecionar seu fumo.

Os produtos, que foram criados pela Rebags especialmente para a Pincoteca, estão disponíveis na loja do museu e custam R$ 150 cada. Eles medem 21 centímetros de altura e 11 centímetros de largura.

Os bonecos de crochê e as obras de Almeida Júnior em que foram inspirados.

Os bonecos de crochê e as obras de Almeida Júnior em que foram inspirados. Foto: Pinacoteca de São Paulo/Divulgação

Quem foi Almeida Júnior

Um dos mais importantes artistas plásticos brasileiros do século 19, Almeida Júnio nasceu em Itu, em 1850, e foi um dos poucos artistas de São Paulo a conquistar prestígio no meio acadêmico naquele período. Sua produção contempla, sobretudo, temas regionais paulistas.

Por sua importância, a data de nascimento do pintor (8 de maio) tornou-se oficialmente o Dia do Artista no Brasil. A Pinacoteca conserva um acervo representativo do artista: um terço do total de obras do museu foi produzida por Almeida Júnior.