Pesquisadores descobrem técnica pioneira para aliviar dores crônicas

ANSA - O Estado de S.Paulo

Cientistas usaram um químico sensível à luz para fazer células nervosas se retraírem

Químico se prende a células nervosas responsáveis pela dor

Químico se prende a células nervosas responsáveis pela dor Foto: Pixabay/@HansMartinPaul

Pesquisadores do Laboratório Europeu de Biologia Molecular (EMBL) Researchers at the European Molecular Biology Laboratory (EMBL) em Monterotondo, na Itália, descobriram uma técnica para reduzir dores crônicas usando luz. A descoberta foi publicada no Nature Communications na última terça-feira, 24.

O grupo de acadêmicos, liderado por Paul Heppenstall, desenvolveu um químico sensível à luz que se fixa a um grupo específico de células nervosas presentes na pele humana responsáveis pela sensibilidade ao toque e que também podem causar dor severa em pacientes com dores neuropáticas.

Ao injetar o químico na região da pele afetada e iluminá-lo com luz próxima ao infravermelho, as células nervosas saem da superfície da pele, levando a dor a desaparecer por até três semanas. Até o momento, a técnica só foi testada em ratos.

Dor neuropática é uma doença que acomete de 7% a 8% da população europeia. Segundo os pesquisadores, até o momento não há tratamento efetivo que não possua efeitos colaterais.