No Dia do Silêncio, personalidades declaram apoio a direitos LGBTQ nas redes sociais

Redação - O Estado de S.Paulo

Data foi usada para chamar atenção para amor 'silenciado'

Vigília em frente à Casa Branca, em 12 de junho de 2016, após massacre em balada gay de Orlando

Vigília em frente à Casa Branca, em 12 de junho de 2016, após massacre em balada gay de Orlando Foto: REUTERS/Joshua Roberts

Neste 7 de maio, personalidades usaram as redes sociais para mostrar apoio a direitos LGBTQ com as hashtags "#nãosilencieoamor e #Kiss4LGBTQRights (beije pelos direitos LGBTQ).

Diversas publicações citaram a perseguição que a população LGBTQ ainda sofre em países como a Rússia, com destaque para a República da Chechênia, além de retrocessos sofridos durante a administração Trump nos Estados Unidos. Eles lembraram também do preconceito diário em locais considerados mais avançados nessas questões.

O dia do silêncio foi inicialmente criado para alertar sobre os males causados pela poluição sonora, mas o simbolismo do nome é utilizado para lembrar, metaforicamente, de outros 'silêncios'.

Veja algumas das publicações de personalidades sobre o dia: 

 

#NãoSilencieOAmor #lgbt #lgbtq #kiss4lgbtqrights #DiaDoSilêncio

Uma publicação compartilhada por Alexandre Herchcovitch (@alexandreherchcovitch) em

 

#NãoSilencieOAmor Onde isso vai parar? ❤️

Uma publicação compartilhada por Bruno Gagliasso (@brunogagliasso) em