Parques da Disney doarão comida e equipamentos de proteção nos EUA

Agências - EFE e AFP

A iniciativa foi anunciada pelo Disney World e pela Disneyland, e os produtos serão encaminhados para famílias necessitadas e profissionais da área de saúde

Parque da Disneyland.

Parque da Disneyland. Foto: Laura Capelhuchnik/Estadão

Os parques temáticos Disney World e Disneyland se uniram nos Estados Unidos para doar milhares de toneladas de alimentos para famílias necessitadas e mais de 200 mil equipamentos de proteção sanitária para médicos e enfermeiras que socorrem vítimas da pandemia do novo coronavírus.

“Os parques da Disney têm uma larga história de ajudar hospitais e comunidades, desde a década de 1930, quando o próprio Walt [Disney] levava os diferentes personagens e animadores da Disney para interagir com a comunidade”, informou o comunicado da empresa.  

“Hoje em dia seguimos compartilhando a magia da Disney através de contribuições, colaborando com organizações sem fins lucrativos, presentes e o voluntariado de nossos empregados. Essas são algumas das formas com que a Disney apoia a mudança positiva e duradoura em diferentes comunidades no mundo”, continuou o comunicado.

Segundo os parques, a equipe doará mais de 100 mil máscaras N95, que, de acordo com as autoridades, têm uma proteção de 100% contra o coronavírus, além de 150 mil aventais de plástico. O material irá principalmente para hospitais em Nova York, Califórnia e Flórida, estados mais afetados pela pandemia.   

Além disso, os parques e hotéis situados nas cidades de Orlando e Los Angeles começaram a distribuir alimentos, que seriam destinados a hóspedes e visitantes, para organizações que se encarregam de alimentar as famílias mais vulneráveis da comunidade local, como a Second Harvest Food Bank.   

“Estas doações não seriam possíveis sem a dedicação dos membros da nossa equipe, que trabalham por trás de tudo, que recolhem, separam e entregam cada alimento para garantir que sejam entregues com o maior nível de qualidade possível”, disse Tajiana Ancora-Brown, diretora de assuntos externos do Walt Disney World Resort

Para Entender

Coronavírus: veja o que já se sabe sobre a doença

Doença está deixando vítimas na Ásia e já foi diagnosticada em outros continentes; Organização Mundial da Saúde está em alerta para evitar epidemia

Situação dos empregados da Disney

Os parques da Disney anunciaram no dia 13 de março a decisão de fechar suas instalações na Califórnia e na Flórida, além do parque que a empresa tem em Paris, na França, para seguir as recomendações de isolamento social para deter a covid-19.

Por causa do fechamento dos parques e paralisação de algumas atividades da empresa em meio ao “devastador impacto” da pandemia de covid-19, os funcionários da Disney entraram em uma licença forçada sem remuneração, informou a empresa na quinta-feira, 3. 

“Os empregados da Disney receberam o pagamento completo e seus benefícios durante este período, e nos comprometemos a pagá-los até o dia 18 de abril, com um total de cinco semanas adicionais de compensação”, disse a empresa em comunicado.

A Disney não informou quantos empregados foram afastados, embora tenha indicado que eles manterão os benefícios de seguro médico durante este período e que poderão receber 600 dólares semanais como parte de um pacote de alívio aprovado pelo governo federal.           

Apenas na divisão de parques, a empresa tem 177 mil empregados. Segundo o site CNBC, a medida entre em vigor a partir do dia 19 de abril, e afetará os empregados sem proteção de sindicatos. A Disney registrou um volume de negócios de 69 milhões de dólares em 2019, 38% dos quais na sua divisão de parques.

Receba no seu email as principais notícias do dia sobre o coronavírus