Orquestra Jovem Palestina supera política e religião para viajar pelo mundo

Agência - Reuters

Grupo tem 76 integrantes muçulmanos, drusos e cristãos

Orquestra Jovem Palestina se apresenta na Holanda.

Orquestra Jovem Palestina se apresenta na Holanda. Foto: REUTERS/Eva Plevier

A maioria dos músicos internacionais relutaria diante da perspectiva de uma viagem de dois dias atravessando postos de verificação militares em alerta para contrabandistas de armas para fazer seus ensaios finais. 

Para Ibrahim Masri, de 19 anos, são ossos do ofício. Ele faz parte da Orquestra Jovem Palestina, que está em turnê pela Europa há três semanas e cujos 76 membros, que incluem muçulmanos, drusos e cristãos, superam fronteiras e divisões religiosas. 

Eles dizem que não conseguem reunir toda a orquestra em casa porque as restrições de Israel tornam difícil demais juntar músicos de Gaza, da Cisjordânia e de Jerusalém e refugiados no exterior. “Conseguimos tocar, mas é duro viajar”, disse Ibrahim, que teve que viajar dois dias saindo de Nablus, na Cisjordânia, e atravessar a vizinha Jordânia para chegar a Oslo, onde a trupe se encontrou. “Quando vamos para Birzeit (na Cisjordânia) ou para Ramallah passamos por postos de verificação. E especialmente quando você está com seu instrumento musical e é revistado, perguntam ‘o que é isso, por que isso está com você?’”, afirmou à Reuters TV.

Israel diz que suas medidas de segurança para a Cisjordânia visam proteger seus cidadãos de ataques de homens-bomba e atiradores, que tiveram um pico durante os levantes palestinos no final dos anos 1980 e início dos anos 2000. Com um programa que combina música clássica tradicional e árabe, a orquestra fez apresentações na Noruega, Suécia, Dinamarca, Alemanha e Holanda.