ONG distribui vales cestas básicas para ex-presidiários em São Paulo durante pandemia do coronavírus

Camila Tuchlinski - O Estado de S.Paulo

Instituto Recomeçar entrega 700 cartões alimentação a egressos e famílias para compra de cestas básicas

Projeto Recomeçar distribui vale alimentação para ex-detentos do sistema prisional de São Paulo e familiares durante pandemia do novo coronavírus.

Projeto Recomeçar distribui vale alimentação para ex-detentos do sistema prisional de São Paulo e familiares durante pandemia do novo coronavírus. Foto: Wesley Nascimento

Se a pandemia do novo coronavírus e a quarentena causam preocupações na economia, com a previsão de fechamento de empresas e aumento no número de desempregados, imagina a situação daqueles que saíram da prisão e tentam reconquistar um lugar na sociedade?

Pensando nisso, o Projeto Recomeçar, através da ONG Gerando Falcões, pretende combater as vulnerabilidades que a pandemia está causando. “Estamos suprindo as necessidades básicas das famílias através da cesta básica digital. Nessa primeira ação, a ideia é atingir setecentos mil egressos, familiares de sentenciados e comunidades em geral”, afirma o fundador do Recomeçar, Leonardo Precioso. 

Segundo ele, que está há cinco anos fora da cadeia e agora ajuda egressos, as cestas, com um valor de R$ 100, são destinadas principalmente para os ex-presidiários que estão desempregados. As entregas começaram nesta quinta-feira, 2, no Itaim Paulista e em Poá.

Egresso do sistema prisional de São Paulo recebe vale alimentação do Projeto Recomeçar durante pandemia.

Egresso do sistema prisional de São Paulo recebe vale alimentação do Projeto Recomeçar durante pandemia. Foto: Wesley Nascimento

Por meio de uma lista, uma colaboradora do Recomeçar, que também já esteve presa, entra em contato com egressos que passaram pela ONG, pergunta se está precisando do vale cesta e envia o link. A pessoa preenche e confirma dia e horário para retirar o benefício, assim, não há aglomeração.

Para participar, o ex-presidiário oferece nome, endereço, idade, número de documentos e o número de registro que passou pelo sistema prisional. Leonardo Precioso acredita que a medida visa amenizar o efeito cascata de carência que o isolamento social pode desencadear entre as famílias mais pobres. “Sabemos das dificuldades que vamos enfrentar. O Recomeçar vem trabalhando e muito na moralização do tema de egressos em meio à sociedade. Juntos somos mais fortes”, conclui.

Leonardo Precioso, fundador do Projeto Recomeçar, que trabalha para engajar egressos do sistema prisional paulista a conquistarem um lugar no mercado de trabalho.

Leonardo Precioso, fundador do Projeto Recomeçar, que trabalha para engajar egressos do sistema prisional paulista a conquistarem um lugar no mercado de trabalho. Foto: Wesley Nascimento

O Recomeçar é uma ONG acelerada pela Gerando Falcões e funciona há cinco anos oferecendo aos ex-detentos (homens e mulheres) atendimentos psicológicos, sociais, preparação e encaminhamento para o mercado de trabalho. 

A Casa do Recomeçar fica em Poá, município do Alto Tietê, vizinho ao bairro do Itaim Paulista. Todos os dias egressos de vários bairros de São Paulo passam pelo atendimento em busca de ajuda.