O Santos Dumont de Porto Velho

Pedro Prata* - O Estado de S.Paulo

Geraldo Araújo constrói casa em formato de avião para satisfazer sonho de infância de ser piloto de aeronaves

Formato de avião é feito de alvenaria

Formato de avião é feito de alvenaria Foto: Imagem cedida por Geraldo Araújo

Existe limite de idade para sonhar? O que você faria para realizar uma ambição que te acompanha desde a infância? Geraldo Araújo, técnico em eletrônica, sempre foi fascinado por aviação, mas nunca conseguiu ser piloto. Aos 63 anos de idade, decidiu tomar o passo que suas pernas podiam dar para chegar mais perto de seu sonho e está construindo uma casa em formato de avião.

"A minha ideia de voar eu tenho desde criança. Eu montava numa árvore e ela me jogava de um lado para o outro, aí eu sentia aquela sensação de estar voando. Hoje, dentro do carro, eu sinto isso: quando eu vou subir uma rampa muito alta, parece que eu estou pousando ou decolando. Isso aí fica na gente", revelou Geraldo ao E+ sobre a sua paixão pelo tema.

Ele contou que pegou um empréstimo para construir uma casa na zona rural de Porto Velho. O senhor pretendia construir um estúdio em sua residência para trabalhar, mas não teria uma acústica boa por conta de todo o barulho da cidade. Por isso, decidiu que deveria se mudar para um sítio. Com um terreno maior e dinheiro em mãos, teve a ideia: iria construir um avião em sua casa. "Eu chegava em casa e ficava pensando nisso, eu desenhava, fazia maquete, fazia filme baseado em aviação", disse.

A parte da execução da construção de alvenaria ficou a encargo de seu cunhado, pedreiro de profissão. Ele supervisiona o serviço pois, como ele mesmo diz, é "perfeccionista". Na intenção de deixar o interior o mais parecido possível com um avião de verdade, fez uma viagem a Manaus apenas para filmar cada detalhe da aeronave: poltronas, bagageiros, tudo. Como não o deixaram entrar na cabine, recorreu a imagens na internet para fazer o painel e o manche.

"Eu já estou há mais de um ano fazendo. Fiz dois empréstimos, paguei um e fiz outro. O projeto eu já estava pensando antes para outro lugar, mas não tinha estrutura nem espaço", conta.

Para Geraldo, a casa em formato de avião é o sonho de uma vida. Mas para outras pessoas, pode ser uma ideia estranha. Durante excursão, um grupo de pessoas viu a construção de longe e pensou que tivesse acontecido um desastre aéreo no local. Uma jovem presente na excursão não esqueceu a visão e resolveu ir até a casa de Geraldo no dia seguinte, tirou fotos e postou na internet.

O sucesso que sua casa fez nas redes sociais pegou Geraldo desprevenido. Ele relata que, de repente, passou a receber muitas solicitações de amizade no Facebook e não entendeu o porquê.

"Falei para a minha neta: 'Olha isso, ontem tinha um monte, aceitei e hoje tem de novo'. Ela pegou meu celular para ver e disse: 'Vô, o senhor não sabe! Postaram fotos da sua casa na internet! Olha o tanto aqui!'", relatou. Ele diz que todo mundo o aprova em seus planos. Até mesmo uma filha que, inicialmente, era contra, agora vê com bons olhos.

O senhor acredita que a idade o impede de seguir com o sonho de ser piloto, mas isso não tira sua determinação de terminar a casa: "Agora vou ficar só com meu sonho e meu avião, mas vou continuar, vou fazer pelo menos isso". Ele diz que ainda falta a pintura, colocar os vidros e reproduzir todo o interior de uma aeronave.

Segundo Geraldo, o interior da construção deverá se parecer com o interior de uma aeronave quando ficar pronto

Segundo Geraldo, o interior da construção deverá se parecer com o interior de uma aeronave quando ficar pronto Foto: Imagem cedida por Geraldo Araújo

 

Espírito criativo

Geraldo sempre teve o espírito criativo. Quando criança, conta que usava as ferramentas do pai, escondido, e montava "televisões" com madeira, plástico, bobina e imagens de revista e jornal. Além disso, fazia imitações de rádios e antenas.

Não só a aviação, mas a tecnologia também era uma paixão que o chamava. Quando completou 18 anos, saiu do interior do Ceará, onde morava, para se especializar em uma profissão. Apesar de Brasília ser a cidade que mais atraía os jovens na época, ele acabou indo para Porto Velho.

"Eu iria para Brasília, mas ouvi uma música que dizia assim: 'Quem quiser viver bem, vá pra lá / Conhecer Porto Velho, vê que bom lugar'. Aí mudei de ideia e vim para Rondônia", cantou ao telefone.

Geraldo possui uma veia artística pulsante. Segundo ele, é uma "sensação que vem de dentro" que o faz criar vídeos, músicas e até filmes. Além de possuir um álbum de músicas gravado na década de 1980, atualmente faz vídeos que ele mesmo escreve, filma, atua e produz. Alguns deles possuem temática de aviação, como o clipe Astronauta, que você pode conferir abaixo:

Apesar de ter uma boa quantidade de material produzido, desconsidera a possibilidade de investir em uma carreira de youtuber. Seu canal no YouTube possuía, até o momento da publicação desta matéria, apenas 126 inscritos. "Parece que só dá mais sucesso quando é piada e eu sou uma pessoa muito conservadora. Eu sou mais conservador com relação a isso. Tem amigos que gostam muito e pedem [que ele invista nisso]", considerou ao explicar porque prefere manter sua produção apenas para os mais próximos.

*Estagiário sob supervisão de Charlise Morais