Músico indonésio é preso por postagem sobre coronavírus em rede social

Agência - Reuters

Jerinx, da banda de punk rock Superman is Dead, criticou associação médica do país

Enfermeira colhe material para teste de coronavírus em Jacarta, Indonésia

Enfermeira colhe material para teste de coronavírus em Jacarta, Indonésia Foto: REUTERS/Willy Kurniawan

Um músico indonésio que toca bateria na banda de punk rock Superman is Dead, radicada em Bali, foi condenado na quarta-feira, 18, a 14 meses de prisão por criticar a associação médica do país devido à sua reação à pandemia de coronavírus em sua conta de Instagram.

I Gede Ari Astina, mais conhecido pelo nome artístico Jerinx, foi considerado culpado de violar a lei de informações e transações eletrônicas da Indonésia (ITE). Ele ainda recebeu uma multa equivalente a 707 dólares, disse Made Pasek, porta-voz do tribunal estadual de Denpasar.

Uma comissão de juízes o considerou culpado de disseminar discurso de ódio, um caso que ativistas de direitos humanos descreveram como um ataque à liberdade de expressão.

“É patético que, durante uma crise nacional, as autoridades indonésias pareçam mais interessadas em silenciar críticos online como Jerinx do que em adotar uma grande campanha de informação pública sobre a covid-19”, declarou Andreas Harsono, pesquisador indonésio da Human Rights Watch.

As acusações derivaram de uma postagem de junho do músico na qual ele criticou a Associação Médica Indonésia e a classificou como “lacaia” da Organização Mundial da Saúde (OMS).

Procuradores pediram que Jerinx, que já havia causado polêmica por disseminar teorias conspiratórias sobre o coronavírus, fosse preso por três anos. O advogado do músico não estava disponível de imediato para comentar para a reportagem da Reuters.