Miss EUA critica rival do Camboja por não falar inglês e é acusada de xenofobia

Redação - O Estado de S.Paulo

Cerimônia que vai escolher a mulher mais bela do mundo acontece neste domingo

A Miss Estados Unidos, Sarah Rose Summers, e a Miss Camboja, Rern Sinat.

A Miss Estados Unidos, Sarah Rose Summers, e a Miss Camboja, Rern Sinat. Foto: Instagram/@sarahrosesummers/@rern_sinat

A expectativa é grande para o concurso de beleza mais famoso do mundo, o Miss Universo. Neste ano, a celebração contará com algumas novidades, como um corpo de jurados formado só por mulheres e a participação, pela primeira vez na história, de uma candidata transgênero.

A entrega do prêmio será neste domingo, 16, com transmissão para 190 países. No Brasil, a Band irá exibir o concurso às 22h. 

E nos dias que antecedem a cerimônia, algumas polêmicas começam a surgir. Sarah Rose Summers, vencedora do Miss Estados Unidos, aparece em um vídeo em que critica a adversária do Camboja, Rern Sinat, por não falar inglês. 

Na imagem, que viralizou na internet, Sarah aparece elogiando Sinat por sua beleza. Na sequência, a Miss Estados Unidos faz o comentário irônico. “A Miss Camboja está aqui e não fala inglês e não há nenhuma outra pessoa que fale a sua língua. Você pode imaginar? A Francesca (Miss Austrália) disse que ela deve se sentir muito isolada. Mas eu acho que ela deve se sentir confusa o tempo todo”, declarou a americana diante de outras duas adversárias de concurso, a australiana Francesca Hung e a colombiana Valeria Morales. Internautas não perdoaram e acusaram Sarah de xenofobia.

Assista ao vídeo:

 

 

Outro caso gerou polêmica às vésperas do Miss Universo 2018. Em outubro, a Miss Colômbia causou polêmica ao criticar a Miss Espanha, primeira candidata transgênero do concurso. “O reino da beleza, como é o Miss Universo, foi feito para mulheres que nasceram mulheres”, declarou.