Meninas com câncer ganham festa de 15 anos em Pernambuco

João Abel* - O Estado de S. Paulo

Mais de 50 voluntários ajudaram a organizar decoração, figurino e detalhes da cerimônia para as pacientes em tratamento

Festa de debutante aconteceu em bufê de Recife-PE

Festa de debutante aconteceu em bufê de Recife-PE Foto: Soares Jr. Fotografia

Um grupo de 17 meninas em tratamento contra o câncer teve um momento especial neste domingo, 20, no Recife (PE). As adolescentes são pacientes do Hospital do Câncer de Pernambuco e do Instituto de Medicina Integral Professor Fernando Figueira (Imip) e realizaram o sonho de ter uma festa de debutante.

O evento foi organizado por um verdadeiro ‘pelotão’ de voluntários. A ideia partiu da Rede Feminina de Combate ao Câncer e atraiu o apoio de dezenas de entidades. Foram mais de 50 grupos envolvidos entre decoração, figurino, doces, maquiagem, iluminação, música, fotografia e segurança.

“Um spa da cidade cedeu o espaço para que as meninas passassem o dia e se arrumassem para a festa. Depois, elas ganharam vestidos exclusivos feito pelo estilista Albérico Ribeiro e nós também compramos um presente para cada uma”, explicou Jane Monteiro, dona de uma das empresas responsáveis pelo cerimonial. Além dela, os empresários Leonardo Buregio e Priscila Borba também ajudaram na organização do evento.

A festa aconteceu no bufê Leda Dourado, na capital pernambucana, e as meninas escolheram em conjunto o tema do baile: Paris. Além disso, elas tiveram direito a levar até 15 familiares para a cerimônia, onde ocorreu a tradicional valsa com os pais e namorados, além de homenagens e apresentações.

“Uma delas cantou uma música, outra leu um texto de agradecimento. Foi um momento muito emocionante”, detalharam os organizadores ao E+.

A emoção também tomou conta das meninas, segundo a cerimonialista. Muitas delas não têm condições financeiras de bancar o tratamento do câncer e, por isso, estão em tratamento em hospitais públicos.

Para as jovens, a festa de debutante foi um momento de distração das pesadas sessões de quimioterapia às quais são submetidas com frequência. “Um dos médicos que estava presente na festa destacou que a alegria libera endorfina, que é um hormônio que aumenta a imunidade. Então, é comprovado que esses momentos de felicidade contribuem para o tratamento”, completou Jane.

*Estagiário sob supervisão de Gabriel Perline