Mãe alerta sobre carrinhos de supermercado após filho ficar doente

redação - O Estado de S.Paulo

Bebê, na época com dez meses, teria contraído vírus e bactéria no assento destinado a crianças e passou dez dias internado

Mãe não limpou o assento para crianças do carrinho antes de colocar o bebê.

Mãe não limpou o assento para crianças do carrinho antes de colocar o bebê. Foto: MichaelGaida/Pixabay

Vírus e bactérias estão por toda parte, e o risco de contrair alguma doença pode aumentar quando as pessoas compartilham objetos. Uma mãe fez um alerta sobre isso após o filho dela, na época com dez meses de vida, ficar seriamente doente um dia após ser colocado no assento destinado a crianças de um carrinho de supermercado.

Vivienne Wardrop contou ao Kidspot que, há pouco mais de um ano e meio, foi ao supermercado com o filho Logan na cidade de Gold Coast, na Austrália. Cerca de 24 horas depois, ele ficou muito doente.

Segundo o relato, ele teve diarreia, febre de 39,6ºC, ficou com a moleira baixa e não parava de vomitar. Na primeira ida ao médico, ela foi orientada a hidratá-lo bastante, pois tratava-se de um vírus.

No dia seguinte, o bebê piorou e foi levado para o Hospital da Universidade de Gold Coast, onde ficou internado por dez dias. Ele tinha contraído adenovírus, rotavírus e salmonela. As doenças afetaram tanto o corpo de Logan que ele teve meningite também.

Não é possível afirmar com 100% de certeza que a causa das doenças foi o contato do bebê com o carrinho de supermercado, mas Vivienne acredita que sim.

"Nós não estivemos em nenhum outro lugar na última semana e não saio muito com ele porque ele nasceu prematuro. As mãos dele estão sempre na boca, então é como se ele tivesse ingerido os germes", contou a mãe. Por isso, ela passou a alertar os pais para tomarem cuidado ao levar os bebês a locais públicos.

"Eu nem sequer pensei em limpá-lo [o carrinho] ou colocar um pano ou qualquer outra coisa", disse. "Eu apenas segui com isso, pois precisava repor os mantimentos [em casa]."

Vivienne disse que não culpou o supermercado pelo ocorrido. Em nota ao Kidspot, o estabelecimento disse que os carrinhos são limpos regularmente, inclusive a parte destinada para bebês, que são sanitizadas. O caso, segundo a loja, era "altamente incomum". A resposta disse ainda que, quando soube do ocorrido, pediu uma inspeção nos assentos de bebês e não detectou qualquer contaminação.