Ler e-mails corporativos no transporte público deve contar como hora de trabalho, aponta estudo

Redação - O Estado de S.Paulo

Pesquisa de universidade inglesa revela que maioria dos britânicos usa rede Wi-Fi para resolver problemas de escritório

Foto:

Você costuma ler e-mails corporativos enquanto volta para casa? E resolver aquele 'pepino' que deveria ter sido feito antes de ir embora e que ficou para o dia seguinte? Um estudo da Universidade do Oeste da Inglaterra (UWE), em Bristol, descobriu que as pessoas estão lendo e-mails antes de começarem a trabalhar e, muitas vezes, acabam com as coisas da jornada de trabalho na volta para casa.

A pesquisa examinou cinco mil passageiros ferroviários em rotas de transporte para Londres, à medida que o Wi-Fi se tornou mais disponível. E 54% dos passageiros estavam enviando mensagens de trabalho enquanto outros usavam seus próprios dados de celular. "Eu sou uma mãe ocupada e conto com esse tempo", diz uma mulher que ia para a cidade de Aylesbury. Uma outra pessoa descreveu o trajeto como 'tempo perdido' e disse que, ao checar os e-mails corporativos, não precisaria trabalhar à noite em casa.

Mas há aqueles que se sentem relaxados, por incrível que pareça, verificando as mensagens no trem. Um passageiro que fazia a rota Londres-Birmingham disse: "É uma opção para mim, você sabe, limpar os decks para o dia, relaxar e colocar o trabalho em ordem".

Segundo pesquisa, 54% dos passageiros enviam e-mails de trabalho no trem.

Segundo pesquisa, 54% dos passageiros enviam e-mails de trabalho no trem. Foto: maneomsy/ pixabay

A disponibilidade de Wi-Fi em trens pode ter contribuído para a mudança no comportamento dos passageiros de transporte público. A pesquisadora do Centro de Transportes e Sociedade da Universidade do Oeste da Inglaterra (UWE), Juliet Jain, chama isso de 'indefinição de fronteiras' entre trabalho e vida pessoal. "Há um desafio real em decidir o que constitui o trabalho", conclui.