Lagum homenageia baterista morto em nova música: ‘Ninguém Me Ensinou’

Bárbara Correa* - O Estado de S.Paulo

Banda divulgou que essa era a canção preferida do Tio Wilson: ‘É muito louco como ela se encaixa perfeitamente para qualquer um de nós neste momento’

Banda Lagum homenageia Tio Wilson (terceiro integrante na foto) em nova música

Banda Lagum homenageia Tio Wilson (terceiro integrante na foto) em nova música Foto: Reprodução Youtube/ Lagum

A banda Lagum lançou na madrugada desta sexta-feira, 2, a música Ninguém me ensinou em homenagem ao baterista Breno Braga, mais conhecido como Tio Wilson, que morreu no início de setembro. 

Breno tinha 34 anos quando teve uma parada cardiorespiratória após apresentação da banda em um drive-in em Belo Horizonte, Minas Gerais. No Instagram, Lagum falou sobre a homenagem. 

''A gente tem um monte de músicas gravadas, todas com a bateria do Tio Wilson. Antes dele partir, a gente se perguntava quais eram as nossas preferidas e, para o Tio, Ninguém me ensinou era a melhor. Não sei se pela euforia que a música passa ou pela mensagem da letra... Cada um vai interpretar de um jeito, mas é muito louco como ela se encaixa perfeitamente para qualquer um de nós neste momento". 

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

“NINGUÉM ME ENSINOU”, 02/10. A música sai 00h e o clipe amanhã 11h.

Uma publicação compartilhada por Lagum (@lagumoficial) em

Na descrição do clipe lançado na manhã de hoje, a banda dedicou a canção aos amigos do baterista. “Se tem algo que o Tio nos ensinou é a importância de agradecer e reconhecer quem fortalece o nosso sonho. Então essa música é dedicada a todos os fãs, amigos e familiares do Tio, que de alguma forma contribuíram pra isso tudo se realizar”.

No Twitter, a homenagem esteve entre os assuntos mais comentados do dia, com a tag ‘TIO WILSON ME ENSINOU’. A letra da música fala sobre o um jovem de ''vinte e poucos anos'' que vive intensamente. O single, com uma foto de Breno na capa, já está disponível em todas as plataformas de streaming. Confira o clipe:

*Estagiária sob supervisão de Charlise Morais