Joalheria da Chanel é assaltada em Paris; assista

Agências - AFP

Os quatro autores do roubo, que levaram uma quantia até agora desconhecida, conseguiram fugir em uma motocicleta e uma scooter

Policia é chamada após um assalto em uma loja Chanel nesta quinta-feira em Paris. Quatro assaltantes de capacete fugiram com uma scooter e uma motocicleta. 

Policia é chamada após um assalto em uma loja Chanel nesta quinta-feira em Paris. Quatro assaltantes de capacete fugiram com uma scooter e uma motocicleta.  Foto: AP Photo/Francois Mori

PARIS, FRANÇA - Quatro indivíduos mascarados, pelo menos um deles armado com fuzil, assaltaram nesta quinta-feira, 5, uma relojoaria e joalheria da Chanel perto da luxuosa Place Vendôme, em pleno centro histórico de Paris, informaram fontes policiais.

Os quatro autores do roubo, que levaram uma quantia até agora desconhecida, conseguiram fugir em uma motocicleta e uma scooter.

O assalto foi filmado por um internauta que postou o vídeo nas redes sociais.

Nele, quatro pessoas vestidas de preto, mascaradas e usando capacetes podem ser vistas claramente. Três saem da loja, enquanto uma outra está na moto, com um fuzil de assalto no ombro. Dois fogem na moto e os outros dois na scooter.

 

 

A loja da Chanel está localizada na Rue de la Paix, perto da Place Vendôme, conhecida pela presença de grandes joalherias.

Uma vendedora de uma loja de roupas da área, Anastasia Martino, de 26 anos, contou à AFP que, "por volta das 14h30", estava na rua fumando um cigarro quando viu "um homem sozinho com uma AK-4 em uma moto".

"Dois minutos depois, outros três homens saíram [da loja da Chanel] com três bolsas pretas grandes. Também carregavam armas automáticas. Subiram em duas motos e partiram rapidamente", acrescentou.

Um gerente da mesma loja de roupas, Cyril Ngo, de 31 anos, afirmou que o assalto "durou menos de 10 minutos".

"Um cliente nos avisou e chamamos a polícia imediatamente, mas não acreditaram. Tivemos que voltar a chamá-los para que nos levassem a sério e agissem", acrescentou.

Pouco depois do ocorrido, a polícia interditou a Rue de la Paix e a loja da Chanel abaixou suas cortinas, apurou a AFP.