Japão pede que trabalhadores tirem folga segunda-feira pela manhã

Redação - O Estado de S.Paulo

Governo quer proporcionar equilíbrio profissional e pessoal entre os japoneses

Trabalhadores japoneses em fábrica.

Trabalhadores japoneses em fábrica. Foto: Irene C. Herrera/The New York Times

 

Imagine se você pudesse ter uma manhã de segunda-feira de folga por mês? No Japão, a iniciativa é do próprio governo, de acordo com reportagem da BBC. O Ministério da Economia daquele país pretende diminuir o número de horas extras realizadas pelos trabalhadores. O objetivo é proporcionar um maior equilíbrio entre a vida profissional e a pessoal dos japoneses. Na década de 1960, o país registrou o maior índice de mortes por doenças cardíacas e mentais associadas ao excesso de trabalho. Um termo para essa situação foi criado: karoshi. Mais recentemente, em 2017, a jornalista Miwa Sado, da NHK, de 31 anos, morreu de ataque cardíaco. Ela havia feito 150 horas extra em um mês apenas.

 

Redação da NHK.

Redação da NHK. Foto: Kosuke Okahara/The New York Times

As folgas matutinas às segundas-feiras surgiram de uma lei japonesa, criada no ano passado. De acordo com o governo do Japão, as empresas privadas foram incentivadas a deixar os funcionários saírem mais cedo na última sexta-feira de cada mês, mais precisamente às 15h, para viajar e ir às compras. A ideia era incentivar o consumo da população.

 

As consequências do exagero no trabalho estão preocupando o governo. Em 2016, uma pesquisa com dez mil habitantes descobriu que mais de 20% deles estavam fazendo mais de 80 horas extras mensalmente. Apesar dessa preocupação do governo japonês, as empresas podem escolher entre dar folga em uma manhã de segunda-feira ou liberar os funcionários mais cedo na última sexta-feira do mês de forma voluntária.