Internautas comparam Facebook com Orkut após lançamento de avatar

João Pedro Malar* - O Estado de S.Paulo

Novo recurso da rede social de Mark Zuckerberg lembrou os extintos 'bonequinhos' Buddy Poke

O aplicativo Buddy Poke permitia criar bonecos virtuais que interagiam no Orkut, e foi comparado ao novo recurso do Facebook

O aplicativo Buddy Poke permitia criar bonecos virtuais que interagiam no Orkut, e foi comparado ao novo recurso do Facebook Foto: Orkut / Reprodução

Quem usou o Facebook entre a segunda-feira, 5, e esta terça-feira, 6, deve ter visto que o feed de notícias da rede social está dominado pelos avatares. O novo recurso da plataforma permite criar uma versão digital do usuário, e rendeu comparações com o Buddy Poke, um recurso do Orkut.

O Buddy Poke era um aplicativo dentro da rede social que permitia criar uma versão digital customizável do usuário, e proporcionava interações com os amigos, inimigos e crushes. Uma febre entre os anos de 2008 e 2009, o Buddy Poke acabou sendo esquecido junto com o próprio Orkut, que foi desativado em 2014.

Os novos avatares do Facebook têm menos funcionalidades que o Buddy Poke, podendo ser usados para enviar figurinhas nos stories, na mensagens diretas ou feed de notícias. Ainda assim a possibilidade de criar os sósias virtuais rendeu diversas comparações no Twitter. Confira o passo a passo para criar um Avatar no Facebook.

“O Facebook pode tentar usar uns bonequinhos, mas nunca chegará no ícone que os Buddy Poke do Orkut foi”, opinou um usuário. Outros destacaram a nostalgia gerada pela novidade: “Abri o Facebook e me senti na época do Orkut com o Buddy Poke kkkkkk nostálgica”.

E essa nostalgia dominou o Twitter. O termo “Orkut” chegou aos assuntos mais comentados da rede social nesta terça-feira, 6. Além do Buddy Poke, as pessoas também lembraram de outros jogos do site, como o CafeMania e MiniFazenda.

Algumas pessoas, porém, não ficaram muito felizes com a novidade. Os insatisfeitos reclamaram por ela não ter todas as funcionalidades do Buddy Poke, e também quem já não gostava do aplicativo e não ficou feliz com a chegada de uma ferramenta parecida no Facebook, que pode acabar dominando o feed de notícias. Confira:

*Estagiário sob supervisão de Charlise Morais