Instituição lança cartilha para ajudar salvamento de animais durante desastres

Camila Tuchlinski - O Estado de S.Paulo

Em Brumadinho, aproximadamente cem mamíferos, aves e répteis foram resgatados, mas o número de mortes é incerto

Quase cem animais foram resgatados em Brumadinho após rompimento de barragem, no início de 2019. 

Quase cem animais foram resgatados em Brumadinho após rompimento de barragem, no início de 2019.  Foto: Alisson Pereira - Ascom CRMV-MG

Durante uma tragédia, acidente ou desastre natural, muitas vítimas se preocupam com seus pets. E grande parte das pessoas está disposta a arriscar a vida para salvar os animais. 

Em Brumadinho, Minas Gerais, uma barragem rompeu em janeiro, fazendo uma série de vítimas. Seis meses depois, os bombeiros continuam o trabalho de resgate.

Quase cem animais foram resgatados, entre mamíferos, aves e répteis. O Conselho Regional de Medicina Veterinária de Minas Gerais coordenou a equipe de profissionais, estudantes da Escola de Veterinária da UFMG, auxiliares e ONGs, como a Federação Humanitária Internacional Fraternidade e a Arca da Fé resgate animal. As ações também contaram com a participação da Anclivepa Minas.

Em 2015, também em Minas, a cidade de Mariana teve a fauna e flora devastadas por um rompimento da barragem da Samarco.

No Brasil há, em média, mais de três acidentes com barragens a cada ano. Os dados são da Agência Nacional de Águas, responsável pelo Relatório de Segurança de Barragens. De 2011 a 2017, a ANA registrou 24 acidentes. 

Para tentar proteger a vida de pessoas e animais, a Ampara Animal lança uma espécie de cartilha, com um passo a passo de como proceder em casos de acidentes, tragédias e desastres naturais. O projeto é realizado em parceria com o Feito Formiguinhas. Alguns procedimentos são preventivos e devem ser adotados antes dos acontecimentos. 

Para pessoas que vivem em áreas de risco, proteger os animais é fundamental. 

Para pessoas que vivem em áreas de risco, proteger os animais é fundamental.  Foto: Divulgação/ Ampara Animal

Como agir antes e durante desastres naturais

- Fique atento aos sistemas de alarme ou meios de comunicação para alertar a população. Informe-se sobre eles por meio da Defesa Civil de sua cidade;

- Trace uma rota de fuga que leve em consideração o transporte do seu animal. Realize uma simulação juntamente com seus animais;

- Encontre um local seguro para tirar sua família e animais como a casa de um parente ou amigo;

- Identifique seu pet com plaquinha na coleira (vale para cães e gatos). No caso de desastres, ele pode se assustar e fugir;

- Tenha um kit de emergência sempre pronto;

- Não prenda os animais com correntes. Além de ser crime, isso o impedirá de se salvar em caso de emergência;

- Treine seu animal a entrar e sair da caixa transportadora para que, em uma urgência, ele não ofereça resistência. A caixa também servirá como abrigo para o seu animal;

- Visite o local seguro com seu pet com antecedência para ele não se assustar ou querer fugir caso precise permanecer por lá.

Realize uma simulação de fuga juntamente com seus animais, caso viva em área de risco.

Realize uma simulação de fuga juntamente com seus animais, caso viva em área de risco. Foto: Divulgação/Ampara Animal