Idosos usam apps, redes sociais e softwares e provam que tecnologia não é 'coisa de jovem'

Hyndara Freitas - O Estado de S.Paulo

'Incentivo todos os avós a tentar essas tecnologias', diz Neuza, de 80 anos, que participou de desafio para marcar chá com as amigas usando aplicativos

Neuza e Lilia foram desafiadas à marcar um chá com as amigas usando aplicativos de mensagens, táxi e banco. 

Neuza e Lilia foram desafiadas à marcar um chá com as amigas usando aplicativos de mensagens, táxi e banco.  Foto: Reprodução/YouTube

O mundo está cada vez mais digital: é possível fazer quase todos as transações financeiras nos aplicativos dos bancos, há aplicativos para pedir táxi, comida, marcar exames e consultas, entre muitas outras tarefas, o que torna o uso de tecnologias do tipo cada vez mais necessárias. Apesar de serem vistas como atividades comuns dos mais jovens, o uso de internet, das redes sociais e dos aplicativos tem sido, cada vez mais, interesse dos mais velhos.

De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia Estatística (IBGE), de 2008 para 2013, o porcentual de idosos que acessam a internet passou de 5,7% para 12,6%. Ainda segundo o instituto, até 2025 haverá no País cerca de 31,8 milhões de pessoas com mais de 60 anos, a sexta maior população de idosos no mundo.

Com o aumento dessa faixa etária na população, os idosos precisam se atualizar e os cursos profissionalizantes em informática são boas portas de entrada, mesmo para quem não busca formação profissional. Um exemplo é José Caetano Alves Rodrigues, de 71 anos, que é aluno da Prepara Cursos de Maringá (PR), e está na terceira apostila do curso de pacote Office.

Ele diz que seus seis netos o influenciaram a buscar conhecimento na área digital. "Eu os via mexendo no computador e também queria aprender. Além de ser um espaço de aprendizagem, me incentiva a manter a cabeça aberta para novidades", conta Rodrigues.

A mais recente campanha publicitária do banco Itaú, o 'Desafio Digitau', traz à tona justamente o uso de novas tecnologias por pessoas da terceira idade. As amigas Neuza Gaglianone, de 80 anos, e Lilia Marly de Almeida, de 79 anos, são desafiadas a marcarem um chá com as amigas usando apenas aplicativos de smartphone. Elas fazem o convite pelo WhatsApp, pedem comida e chamam um táxi para uma delas voltar para casa.

Em entrevista ao E+, elas contaram que tudo que é feito no vídeo é verdade, "não tem nada inventado, é o que nós fizemos realmente". Neuza conta que é uma usuária ativa das redes sociais: "Eu uso bastante o Skype, Facebook, Whatsapp, e nos comunicamos com nossos filhos por esses intermédios dessas redes digitais, falo com minha neta que estuda em Cambridge, com meu filho que mora nos Estados Unidos".

"Falo bastante com os filhos, com amigos, com um amigo que tá fora, que mora em Los Angeles, ele sempre me liga pelo Skype, então é bom que a gente fica bem antenada sempre", conta Lilia.

Muitas vezes, a vontade de aprender surge mesmo que a pessoa nunca tenha tido contato com a internet ou com um smartphone. É o caso de Adelice Batista Rodrigues, de 71 anos, que resolveu fazer o curso de operadora de informática. Ela nunca havia mexido em um computador antes e resolveu explorar esse universo. Segundo Adelice, a intenção era ganhar conhecimento e ficar por dentro: "Se todo mundo mexe, por que eu não?", questiona.

Mas não é só através de cursos que se aprende: os mais jovens podem dar uma mãozinha àqueles de idade mais avançada. Lilia conta que seus filhos e netos a ensinam a mexer no smartphone. "Agora mais os netos, que estão em casa. Eles têm 18 e 20 anos e me ajudam bastante".

Como já são usuárias dessas tecnologias, as senhoras contaram que foi ótimo participar da campanha do banco. "Nós gostamos demais, nós estamos aceitando até outras campanhas, nós estamos no auge da fama", contou Neuza.

Ao todo, elas protagonizam seis vídeos: Quatro já foram lançados e dois ainda estão em edição. O primeiro foi o 'Desafio Digitau', depois um especial do Dia dos Avós, lançado no último dia 25. O 'Chá Digitau com youtubers' conta com a participação de criadores famosos da plataforma e dois já foram ao ar, um com participação de Pathy dos Reis e outro de Tavião. Os outros dois, que estarão disponíveis em breve, terão Kéfera e Christian Figueiredo como convidados.

"Foi uma experiência muito boa. Nesta semana, nós tivemos uma entrevista com o Christian e com a Kéfera, foi muito legal", Lilia revelou, empolgada. "Estamos evoluindo em contato com os jovens, né? Acho que nós também estamos mais jovens, acho que nós estamos com 30 anos, queremos até ir para a balada!", brinca Neuza sobre a parceria com os youtubers.

As idosas ainda estimulam que todos os mais velhos incluam a tecnologia em seu dia a dia. "Todo mundo tem que se atualizar, a era agora é a era digital, vamos correr atrás dos 'brotos', quem não se atualiza fica pra trás. Nós incentivamos todas as vovós de 80 anos a tentar essas tecnologias", aconselha Neuza. Lilia concorda, e diz que essas inovações "preenchem a vida".

Geração digital. A ideia da campanha publicitária do Itaú, idealizada e produzida pela Agência África, é, segundo Eduardo Tracanella, superintendente de marketing do Itaú, "mostrar mais uma vez como a tecnologia pode ajudar as pessoas e aproximá-las uma das outras, independentemente de sua geração".

"A Lilia e a Neuza são, literalmente, a prova viva de que as pessoas da terceira idade também podem fazer parte da geração digital", explica Eco Moliterno, Vice-Presidente de Criação da Agência Africa. "E agora, depois do sucesso do nosso projeto com o Itaú, elas resolveram até lançar o próprio canal delas no YouTube. Elas não param!", comemora.