Homem faz tatuagem, toma banho de mar e morre de infecção generalizada

Redação - O Estado de S.Paulo

Especialistas médicos alertam que se deve esperar, no mínimo, duas semanas para nadar, uma vez que o risco de infecção é muito alto

Após fazer uma tatuagem, a recomendação médica diz para evitar mergulhos por até duas semanas

Após fazer uma tatuagem, a recomendação médica diz para evitar mergulhos por até duas semanas Foto: Pixabay/ xumux

Um homem morreu de infecção generalizada após sua tatuagem infeccionar durante um banho de mar. O rapaz de 31 anos havia acabado de fazer o desenho corporal e não deveria nadar por, pelo menos, duas semanas. As informações são do Daily Mail.

Esse é o conselho médico que os tatuadores devem fazer a seus clientes. Isso ocorre porque a cicatriz da tatuagem demora para fechar completamente e entrar na água do mar, ou até mesmo de rios e piscinas, traz risco sério de infecção. 

O rapaz fez uma tatuagem na batata da perna e, em vez de acatar a recomendação, mergulhou nas águas quentes do Golfo do México. Uma bactéria que se alimenta de carne entrou na ferida e necrosou partes do seu corpo.

O homem apresentou sintomas como febre, calafrios e a área em volta da cicatriz ficou vermelha. Sua condição de saúde piorou pelos dois dias seguintes, até que ele foi levado ao hospital. Os médicos se preocuparam com a aparência das áreas infeccionadas, que haviam piorado muito.

Os sintomas do paciente levaram a equipe do hospital a desconfiar de uma bactéria específica com alta porcentagem de mortes. Em apenas 24 horas, os seus órgãos sofreram falência múltipla e o homem foi ligado a aparelhos. Ele passou por um choque scéptico, que é uma reação do organismo contra os seus próprios órgãos. A bactéria chegou à corrente sanguínea e se espalhou por todo o seu corpo.

O homem morreu dois meses após ser internado.