Homem diz que apoio emocional de jacaré o ajudou durante depressão

Agência - AP

Joie Henney afirma ter aprovação de seu médico para contar com Wally como suporte

Joie Henney e seu jacaré chamado Wally

Joie Henney e seu jacaré chamado Wally Foto: Heather Khalifa / The Philadelphia Inquirer via AP

Joie Henney, 65 anos, conta que seu pet chamado Wally gosta de se aconchegar e abraçar, apesar de ser um jacaré de 1,5 metro de comprimento. O homem de York Haven, na Filadéfia,  disse ao Philly.com que recebeu aprovação de seu médico para usar Wally como seu animal de apoio emocional depois de não querer tomar medicação para depressão.

"Eu tinha Wally, e quando chegava em casa e estava perto dele, estava tudo bem", afirmou. "Meu médico sabia sobre o Wally e achou que funcionava, então por que não?"

Wally foi resgatado na região de Orlando aos 14 meses de idade e ainda está crescendo. Henney diz que Wally come asas de frango e compartilha um lago de plástico com um jacaré menor chamado Scrappy.

O Wally é jacaré de 1,5 metro de comprimento e tem quatro anos

O Wally é jacaré de 1,5 metro de comprimento e tem quatro anos Foto: Heather Khalifa / The Philadelphia Inquirer via AP

Wally, que faz quatro anos, é um grande urso de pelúcia, nas palavras de Henney. O réptil de sangue frio gosta de descansar o focinho em Henney e "ele gosta de abraçar", disse ele.

O jacaré nunca mordeu ninguém e até tem medo de gatos, segundo Henney.

Henney reconheceu que Wally ainda é um animal selvagem perigoso e provavelmente poderia arrancar seu braço, mas diz que nunca teve medo dele.

O homem frequentemente leva Wally para encontros em lugares como centros de idosos e jogos de beisebol.

"Ele é como um cachorro", disse Henney a uma mulher em uma recente visita a um centro de idosos. "Ele quer ser amado e acariciado."

Wally foi resgatado na região de Orlando quando tinha 14 meses

Wally foi resgatado na região de Orlando quando tinha 14 meses Foto: Heather Khalifa / The Philadelphia Inquirer via AP