‘Hipsters’ em alta: cresce a procura por implantes de barba

João Abel* - O Estado de S. Paulo

Cirurgia é solução para quem tem pelos espaçados; entenda como funciona o método

Barba está em alta e pode ser implantada em casos onde haja ausência de fios

Barba está em alta e pode ser implantada em casos onde haja ausência de fios Foto: Pixabay/Pexels

Já percebeu como aumentou o número de homens que deixam a barba crescer? O estilo ‘hipster’ está em alta e atrai cada vez mais adeptos. Por conta disso, aumentou a procura por implantes de barba, uma cirurgia que ajuda quem tem pelos espalhados ou até ausência capilar na face.

Seja para seguir a moda ou aumentar a autoestima, muitos homens apelam para a técnica. “Hoje a barba é algotrend e as pessoas querem cultivar desde barbas maiores, mais ralas ou bigodes”, avalia o médico Arthur Tykocinski, especialista em restauração capilar.

Procedimento. O médico explica que a cirurgia é feita pelo método FUE (extração por unidade folicular). Os pelos são retirados do próprio corpo do paciente, geralmente do pescoço para melhor preenchimento do queixo e bochechas. Em outros casos, também é possível retirar da parte traseira do couro cabeludo e transplantar para a barba.

As cirurgias são chamadas de gigasessões. E não é à toa. O procedimento é minucioso e pode durar até 12 horas dependendo do número de unidades foliculares a serem transplantadas. “Hoje em dia, a gente transplanta, às vezes, cinco mil, seis mil fios no rosto em um único dia”, comenta o cirurgião Thiago Bianco, também especializado na área.

“É um processo semelhante ao implante capilar. Sempre se tira fios de uma região doadora e transplanta para uma região receptora, que tenha ausência ou rarefação de fios. A única diferença é que o transplante de barba - ou o de sobrancelha - utilizam fios únicos. Já o capilar usa quatro unidades capilares distintas”, ele explica.

O procedimento não exige internação. No entanto, são necessários cuidados pós-operatórios pelo menos na primeira semana após o implante, especialmente com a limpeza. É importante não colocar as mãos no local para evitar infecções, proteger-se da exposição solar e não usar produtos químicos.

Resultados. O implante também leva em consideração o objetivo do paciente em relação à aparência final. “Nós tentamos buscar o máximo de naturalidade possível para que o paciente possa usar qualquer tipo de estilo, seja mais comprida, mais rala ou até raspar na máquina zero sem ter problema”, diz o especialista.

“A cicatrização do local implantado é muito rápida, geralmente de dois a três dias, já que o furo feito tem um diâmetro inferior a 1 milímetro. Uma semana depois você um ‘vermelhinho’ no local, mas nem parece que a pessoa se submeteu a um procedimento cirúrgico”, afirma Tykocinski.

“E os pelos geralmente crescem direto, de forma contínua. Em um mês já é possível ver a diferença”, completa.

Custo e contraindicações. Se você se interessou pela ideia de ter uma barba perfeita, prepare o bolso. Uma sessão para implante na região custa entre R$ 10 mil e R$ 25 mil, dependendo do grau de necessidade e da clínica escolhida.

O método, em geral, pode ser utilizado em qualquer pessoa, desde que não existam cicatrizes muito profundas ou sensíveis no local. “Nesses casos, nós fazemos um teste rápido para ver como vai ser a reação da pele do paciente. E aí indicamos se é possível ou não realizar a cirurgia”, esclarece Thiago Bianco.

*Estagiário sob supervisão de Gabriel Perline